Pesquisa personalizada

quinta-feira, 19 de março de 2009

Escorpião


Ela sente o chão a fugir-lhe debaixo dos pés… como se de repente a terra tremesse e o chão se abrisse perante ela e se preparasse para a engolir. Ao mesmo tempo sente o veneno da picada de um escorpião a entrar-lhe no sistema sanguíneo, veloz como um raio, os pulmões começam a contrair lentamente e o ar que deveria faze-la respirar está longe de cumprir o seu caminho, ao mesmo tempo que o seu cérebro começa a ceder perante as imagens que passam em flash-back, aceleradas. Sente náuseas, arrepios que lhe percorrem da cabeça aos pés, ao mesmo tempo que suores lhe escorrem pelas costas, o seu coração contrai-se perante esta dor tão atroz. Porquê? Ainda é o pensamento que o cérebro dela consegue traduzir, dos últimos acontecimentos da sua vida, o que se passou? Sem conseguir entender mais nada, o veneno já se espalhou pelo seu corpo e lentamente se instalou no seu coração. O cérebro recebe mais uma ordem do coração, de hoje em diante jamais voltará a amar, apenas destilará todo o veneno com que foi picada… sem dó nem piedade...

7 comentários:

Jorge Freitas Soares disse...

Shiiii, voltaram as tormentas por estes lados?

Se eu te deixar uma flor tu animas um bocadinho? não?..e se forem várias?

Estas por exemplo:http://momentoseolhares.blogs.sapo.pt/154423.html

Vá lá, anima-te
Beijinho
Jorge

blue eyes disse...

De vez em quando tenho temporal, sismos, tsunamis, etc e tal.
Obrigado. bjks

Smootha disse...

Não te contentas nunca com uns choviscos, pois não?
Olha, áluna lá no meu canto, pode ser que o manifesto te anime.
E anima-te! Vais ver que na próxima maré já es´tará tudo amis calmo. Palavra de Lua! ;)
Beijocas

entremares disse...

Ela sente o mundo a girar-lhe diante dos olhos… como se de repente tivesse acordado de um sonho com um toque a realidade. Ao mesmo tempo sente o pousar da borboleta no braço, ao mesmo tempo que uma estranha sensação de leveza a começa a percorrer, subindo vagarosamente pelo sistema sanguíneo, os pulmões começam a relaxar lentamente e o ar que deveria faze-la respirar está mais aromático, um cheiro a flores silvestres, ao mesmo tempo que o seu cérebro começa a receber imagens que passam em flash-back,de lugares longínquos no tempo, lugares onde recordava ter sido feliz. Sente um arrepio que lhe percorre o corpo inteiro, da cabeça aos pés, o coração acelera com uma agradável cadência, algo parecido com o aroma inebriante da manhã. Porquê? Ainda é o pensamento que o cérebro dela consegue traduzir, dos últimos acontecimentos da sua vida, o que se passou? Sem conseguir entender mais nada, algo de diferente já se espalhou pelo seu corpo e lentamente se instalou no seu coração. O cérebro recebe mais uma ordem do coração, de hoje em diante jamais voltará a questionar a beleza das coisas, apenas aceitará tudo e todos como eles são, todos diferentes, todos iguais, todos com os mesmos tormentos, todos com os mesmos anseios...

( É um plágio, não é ? Pelo menos, tentei que fosse...)

blue eyes disse...

Smoo já que convidas, vou ver de que se trata (como se não fosse na mesma...)
Entremares, não é plágio, digamos que é uma reconstrução positiva ;).

Natucha disse...

Têm dias em que tudo parece que corre mal,mas desistir nao é soluçao.Quando nos fecham uma porta abre-se uma janela e nunca desistas do amor. Tú nao és uma desistente mas sim uma lutadora. Força

blue eyes disse...

A lutadora morreu. Morreu para o amor. Jamais volta a acreditar. Depois de um fracasso, nunca deixei de acreditar, também nunca tinha amado de verdade. Acreditei sempre depois do primeiro fracasso, mas enganei-me e quando achava que havia amor, fui apunhalada pelas costas, à traição, como fazem os cobardes. Garanto de coração que jamais acreditarei em homem algum neste mundo, mesmo porque mais nenhum me volta a ver os dentes.