Pesquisa personalizada

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Bom Ano

RecadosAnimados.com




Para enviar seu recado de 2008, entre aqui!!!

RecadosAnimados.com



Que 2008 seja um ano repleto de tudo o que desejam.

domingo, 30 de dezembro de 2007

Tratmento de choque, e conclusão

Nunca me afectou nada destas coisas que esta " Jabiraca", fez, mas naquela altura eu já estava com 22 anos, e a realidade começou a fazer com que percebesse que inveja é uma coisa feia. Decidi que, a I. tinha de começar a levar tratamento de choque, para ver se deixava de me invejar, e de me aparecer aqui em casa com a conversa da prima com a minha irmã, até porque a minha irmã se apercebeu de tanta falsidade, por coisas que se descobriram que ela dizia de nós. Não que não soubéssemos quem era a peça, mas mesmo assim, nós não somos da mesma fibra, e não ligávamos. Como contava, tinha de lhe dar tratamento de choque, até porque a cena de mal me cumprimentar, e de fazer tanto alarido com a minha irmã, estava a passar dos limites, e era tudo para ver se me afectava. Como ela e a D. não se falavam há alguns anos, e eu sabia que ele tinha ciúmes de mim e da D. resolvi que o tratamento de choque passaria por fazer parecer que eu e D. éramos unha com carne. A D. já namorava com o M. e eu também namorava com o meu ex (da I. aqui nem conto), e de cada vez que a "jabiraca" me aparecia á porta ou passava para ir comprar alguma coisa à casa de uma tia minha, eu aproveitava para meter conversa com a D. se ela andasse na rua. Então começava a chamar-lhe de priminha, irmã mais nova, perguntava-lhe com estava o nosso namorado, e a D. que sabia de tudo fazia o mesmo comigo, comentava que eu havia de ser dama no casamento dela e enfim toda a espécie de coisas que faziam a I. ficar de trombas. Resultou, começou a deixar de vir a minha casa e arranjou vida própria. Hoje é licenciada, tem um bom emprego numa seguradora,tem uma excelente casa (segundo a mãe, que eu nuca lá irei por os sapatos com os meus pés dentro), e acaba de ser mãe de um rapaz, que invariavelmente se chama J. igual ao filho da D. o marido é empresário, e está muito bem na vida. Só lhe desejo o dobro de tudo o que eu conseguir na vida. Se eu ganhar o euro-milhões, que ela ganhe o dobro. Porque enquanto estiver acima de mim, não se lembra que eu existo, e não me inveja mais.
Desde essa altura, que eu e a minha irmã temos duas primas, que não são primas de nós duas. A I. é a prima da minha irmã, e a D. é a minha prima. Brincamos sempre com isto, quando queremos falar de alguma delas. A D. como se dá bem connosco e sabe desta nossa maluqueira, também brinca com isto e diz á minha irmã que não é prima dela, que prima dela sou só eu, que a minha irmã é prima da I. Assim com longa história contei como eu e a minha irmã sendo filhas do mesmo pai e mãe, temos primas direitas diferentes.

a gargalhada

Isto passou, ela foi a exame de código com 25 lições e chumbou, não lhe desejei mal, até porque nunca mais pensei no assunto, mas quando soube, não pude deixar de soltar uma gargalhada!
Continuámos a sair, ela lá tirou a carta, o meu tio comprou-lhe um carro, e no Verão íamos à praia como sempre. Eu comecei então nessa altura, a reparar que tudo o que eu comprava, quer fossem umas calças, um rádio, ou uma escova de cabelo, ela também comprava. Por causa de um problema de coluna o ortopedista aconselhou-me a usar mochila em vez de mala, e quando ela me viu com uma de pele toda de recortes, comprou uma igual, enquanto a minha era preta, a dela era castanha. Eu numa dada altura tive de comprar uma cama nova, de ferro, porque a minha de madeira se tinha partido, ela comprou uma também, quando a que tinha estava em perfeitas condições. Por essa altura, começou a nascer em mim, uma certa repulsa por ela, mas nunca dei a entender, até porque me apercebi que ela sempre tinha sido assim, e isso não me incomodava, e já nem saíamos juntas. Em todo o caso, aquilo, começou a fazer com que eu comprasse e escondesse as coisas, sei que não foram feitas só para mim, mas caramba puxem pela cabeça e não queiram só o que os outros também tem.
Entretanto eu e a outra prima, a D. já não brincávamos (óbvio) e também não saíamos juntas, mas nunca nos deixámos de falar e dar bem quando estávamos juntas, até porque morávamos em frente uma da outra, mas tínhamos vidas diferentes. Mas continuámos a partilhar algumas parvoíces, até porque o meu tio, é o mais novo dos irmãos do meu pai, e sempre brincou com a "sobrinhada" toda, aqui no quintal, portanto éramos próximas na mesma.
Comecei a reparar nessa altura que quando ela, a I. chegava ao pé de mim e da minha irmã, nos cumprimentava de forma diferente. Com a minha irmã era beijo, abraço, minha prima linda para cá, minha rica prima para lá, mais beijo, mais abraço, e no fim virava-se para mim e dizia simplesmente: " Olá X.!" Ok, eu como até, sentia repulsa por ela, não me incomodava com isso, mesmo porque, se ela se viesse agarrar a mim como fazia à minha irmã, ia levar um empurrão monumental. Comecei a brincar com o assunto, e comecei a comentar que ela apenas é prima da minha irmã, porque é a ela que chama prima, a mim só me trata por X.

sábado, 29 de dezembro de 2007

Coisa mais longa...

Como referi, eu sou meio despistada, e não ponho maldade nas pessoas que me são próximas( ou não punha...), e nunca me apercebi que a minha prima I. a tal do lado da minha mãe, ia comprando tudo o que eu comprava, por mais insignificante que fosse. Fomos crescendo, a adolescência foi-nos separando um pouco, mas no Verão, íamos para a praia juntas, porque ela não tinha mais ninguém com quem ir, e quando muito nova (15 anos) teve o primeiro namorado, vinha pedir-nos para irmos ao café com ela e o namorado porque doutra forma o pai não os deixava ir ( como se isso os impedisse do que quer fosse, ele nem ia á escola nem nada, não...). Nessa altura, eu também saía porque a minha irmã é mais velha que eu 9 anos, e eu andava com ela, porque as minhas amigas, não saíam ( agora é que vejo, que prisão elas tinham), e a minha prima que saía connosco, começou a ter umas trocas de palavras comigo, éramos as duas teimosas, e nenhuma dava o braço a torcer na altura, embora eu muitas vezes me calasse para não dar andamento á coisa. O namoro acabou, e ela continuou a sair connosco, e como fora as teimosias nos dávamos combinámos que iríamos tirar a carta juntas, porque eu não tinha pressa e ela era mais nova. Quando fez 18 anos, calou-se muito bem, e começou a tirar a carta, sem dizer nada. Uma vizinha que era amiga da mãe, mas que é minha madrinha contou á minha mãe, que me veio contar, meio chateada pela acção da sobrinha. A mim, não me afectou, eu continuava sem pressa, e estava a c.... para o assunto, se queria ter a carta primeiro, que tivesse, a mim, isso não me incomoda de todo. Só que a "jabiraca", tempos depois, como não sabia como contar, aparece-me em casa para perguntar á minha irmã ( que também estava a tirar a carta aos 29 anos, tal era a nossa pressa), se com 17 lições de código podia ir a exame. Esta foi a forma que encontrou para vir tentar desestabilizar, mas enganou-se! A minha irmã disse-lhe que perguntasse na escola de condução! Eu que, não estava com problema nenhum, mas que não gosto que me queiram fazer passar por parva só lhe disse: " Se vieste, aqui com essa conversa para dizeres que estás a tirar a carta, vieste mal, porque eu já sabia! E vai lá em frente, boa sorte, tira lá a carta primeiro, compra lá o carro, que depois tens de me levar á praia no Verão!"

A tal palavra...

"Jabriraca" era esta a palavra da novela, e que se enquadra perfeitamente para o nome de uma prima.
Como eu contava, eu e a minha irmã temos primas que não são primas de ambas. Confuso, né? Parece aquela cena do outro que casou com... prosseguindo, como a minha família é como um grande número de famílias portuguesas, há sempre uma ou duas, ou tr..., enfim, invejosas pelo caminho. Quando eu era miúda, dava-me com duas primas mais novas apenas dois anos, uma de cada lado da família, uma do lado da mãe a I. e outra do lado do pai a D. Tudo normal, na altura, morávamos praticamente juntas, e as minhas primas até eram da mesma turma na escola. Acontece que raramente brincávamos as três, porque a minha prima D. era muito reprimida pela mãe, que nunca deixava a pobre desgraçada brincar na rua, e porque também não gosta de mim, mas isso é outra história ( uma cabeça partida, que fica para outro dia). Eu brincava com as duas em alturas diferentes, mas sempre me dei melhor, apesar das nossas brigas de gaiatas com a D. As nossas mães apesar da minha "tia", não gostar de mim, davam-se assim assim, e quando iam ás compras juntas por vezes compravam roupas iguais para ambas, isso causava inveja na I. e na mãe. Quando a minha mãe me comprava uns vestidinhos todos catitas só para mim, a mãe da I. como é costureira, tratava de pedir emprestado para fazer uma para a filha. Eu desgraçadamente nunca tive um vestido que não tivesse cópia, quer, por ser comprado em conjunto com a D. quer, porque a I. acabava por ter um igual aos meus.
Os anos, foram passando, nós fomos crescendo, a as relações foram mais ou menos as mesmas entre mim, e ambas. Elas, é que apesar de terem feito a primária juntas, no ciclo separam-se e anos mais tarde porque nenhuma era exemplar em comportamento acabaram por se zangar, mas essa é a história delas.
Como contava, com o passar dos anos, nunca me apercebi, da inveja que a I. tinha de mim, e de tudo o que eu tinha, só já em adulta é que percebi, até porque como eu não sou assim, não ponho maldade nas acções dos outros, mesmo quando me estão a lixar.
Xiii, isto tem de ir por partes, parece uma novela...

As primas...

A minha irmã está a ver uma novela brasileira na televisão e eu acabo de ouvir um nome que se enquadra na perfeição naquilo que vou escrever a seguir. Ontem ao ler um post de outro blog, o espaço Riscos e Rabiscos, e comentar o mesmo, resolvi também falar de primas. A minha família, não é de todo exemplo para ser seguido. Tanto a minha mãe como o meu pai, tem 4 irmãos cada. Cada irmão(ã) tem pelo menos dois filhos, o que me número de primos já dá um número jeitoso. Só que, ninguém se dá assim muito bem, sempre houve ditos e mexericos, entre cunhadas (do lado do meu pai), entre irmãos (do lado da minha mãe), enfim, cambada de malucos. Ora, os primos(as), como os pais não se cruzam lá muito bem, também não são de se darem em relações de amizade, apenas uns poucos, do lado do meu pai nos damos um pouco melhor. Ora esta história existe porque eu e a minha irmã temos primas diferentes. Quê? Sim, eu tenho uma prima que é só minha, ela tem uma prima que é só dela.
Mistério, como é isso possível, se somos ambas filhas do mesmo pai e mãe? Fica para a segunda parte.

Dia fraco

Há dias assim, com o este, que nem são bons, nem são maus, são dias. Fui com a minha prima e família até ao Santuário de Fátima. O tradicional, quando acontecem algumas coisas na vida das pessoas, e como me convidou, fui com eles, até porque a única vez que lá fui, já foi há 23 anos. Está diferente, a nova basílica é enorme, mas com um traçado moderno demais para aquele local. Enfim, o progresso também chega ás questões da fé. Fiquei um pouco triste, e refiro um pouco, porque o que vou dizer não será novidade, mas ver que naquela cidade quase toda a gente vive em redor do negócio da fé dos outros, entristece-me. Ok, há comercio, mas na maior parte é em redor de artigos religiosos e hotelaria/hospedagem, e muitas coisas em nome de uma religião, que me quer parecer, cada vez mais se afasta da vida que nós levamos em diante. Sei que tem de haver comercio, mas aquilo é um exagero. Porta sim, porta sim, praticamente há uma casa de artigos religiosos, ou um hotel. E os nomes? Bem, nem vale a pena referir. Enfim, fomos ao que fomos, almoçámos as sandes que levámos no parque, e depois pusémo-nos a caminho de Óbidos, para ver a tal "Vila Natal"! Se me desiludi de manhã, de tarde ainda pior. Como está muita gente de férias, aquilo estava uma enorme confusão. Imenso pessoal, e filas enoooooooormes. Só para comprar bilhete devemos ter perdido perto de uma hora, depois mais outra fila para lá entrar, mais um quarto de hora, pois e a tarde a querer ficar pequena. E depois a desilusão... Um bilhete de 5 €, que é caro tendo em conta o que por lá se viu. Ou nós não vimos tudo, ou francamente não vejo o porquê de cobrarem entrada. Se é por causa das pistas de gelo, mais valia cobrarem só isso, porque uma entrada só dá uma ficha e depois não dá para grande coisa. Cá para mim, nós não vimos bem aquilo, porque buá, eu dei por mal empregue o dinheiro da entrada, mais valia ter ido comer algo bem gostoso, numa esplanada á beira mar na minha cidade, sempre arriscava ver os golfinhos do Sado e bem as vistas aqui da serra não tem comparação. Tirei umas fotos, e ainda nem vi como estão, se forem alguma coisa de jeito depois ponho.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Que número....

Ligo o Computador e sai-me o 3.333!
Que número este, olho para o contador de visitas e vejo este número 3.333. Para além de ser uma capicua, quererá dizer mais alguma coisa? OK, quer dizer que já passaram 3.333 pares de olhos a lerem as minhas letras atiradas à laia de confissão, relato cómico ou emocionado, outras vezes algumas músicas, blá, blá, blá, whatever...
Mas realmente fico a pensar se quererá dizer alguma coisa, enfim se alguém souber ou tiver algum significado para isto que me avise, não vá eu estar a perder os números da lotaria desta semana a não saber.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Tradição

A primeira parte já está!... O Natal já foi, que alívio. Por aqui a tradição ainda é o que era! Tal como todos os Natais anteriores, o que começa bem, acaba mal. Este ano não foi excepção, se começou bem, acabou igual ao de sempre, uma data de "burros" uns amarrados, outros por amarrar. A segunda parte geralmente é melhor, principalmente quando o Natal acaba desta forma, na Passagem do Ano dou o fora, vou para qualquer lado, mas por aqui eu não fico. Avizinha-se uma passagem de ano com outras companhias, já conhecidas por sinal, e bem mais agradáveis, e que gerem o manicómio deles com menos stress. Além de que os doidos de lá são mais fáceis de aguentar. A casa dos compadres, é o ponto de aterragem deste ano. Até vou ver o fogo de artíficio de um local um pouco acima do habitual, no 1º andar da casa deles, lol. Em tantos anos nunca saí do solo para ver o que quer que fosse, deve ser por isso que ainda não subi nesta vida, portanto este ano tenho uns degraus para me lançar por ali acima, não posso é beber, ou ainda desço mais depressa do que subo...

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Feliz Natal!

Um Natal cheio de Paz, Amor e muita Saúde, em muito boa companhia.
Este é o meu desejo de Natal para todos os amigos deste meu espaço, e para aqueles que possam por cá passar.

RecadosAnimados.com



Os gifs mais lindos de Natal & Ano-Novo em

RecadosAnimados.com

sábado, 22 de dezembro de 2007

Vá fiquem lá com água na boca...

Agora que estou em paz comigo e com o mundo, até passo por parva, lol, só porque me estava a rir para o Pc. ( estava a ler um coment noutro blog, que me fez desatar a rir e a mana chamou-me parva por me rir sozinha) Mas no meio do caos sempre surge alguma lucidez, e só seguir em frente, e imbuida de algum espírito natalício fui fazer um Bolo de Mel, sim que eu na cozinha sou um arraso, oh lá,lá! Está soberbo, mesmo só podia, porque feito por mim só pode ficar de divino para cima. De hoje até segunda é passar metade do tempo enfiada na cozinha, mais o dia de Natal que já me voluntariei para cozinhar uns Lombinhos Recheados com ameixas e alperces macerados em vinho do Porto. Tudo isto porque o forno cá do manicómio tinha pifado há uma eternidade e fazer algo no mesmo era pura utopia, nada, aquilo era apenas um objecto de decoração para não ficar um buraco enorme na bancada da cozinha. Era isso, ou tirar de lá o dito e meter lá um vaso com plantas, mas como ainda tenho algum sentido estético, preferi manter o forno no buraco, até esta semana, quando adquiri um novo todo pipi. Agora é dar uso à coisa até porque tenho de recuperar os cozinhados(tempo) perdidos. A receita do bolo, depois eu ponho aqui para os gulosos, se deliciarem com o meu bolo de mel. Amanhã sai uma Tarte de Amêndoa, receita de uma ex-colega de trabalho, que depois também ponho a receita, e quem sabe fotos dos mesmos. Fico por aqui, para que não fiquem a babar-se mais. Hummm, e que dizer dos pinnhões em cima do bolo?

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Vai passando

A chuva parece que cessou e com ela levou o mau tempo que me assolava a alma. Estou mais calma, mais objectiva. Sei o que quero, sei de onde venho e para onde vou. Terei de ser cautelosa, não quer dizer que ande com medo, muito menos que vou enfiar um saco preto na cabeça, apenas que vou tentar passar despercebida, que deve ser fácil, a emagrecer desta maneira daqui a pouco será difícil darem por mim. Vou tentar fazer deste Natal um pouco como se fosse mesmo um nascimento ou melhor será o meu renascer das cinzas tal qual a Fénix. Sim porque o que não nos mata, torna-nos mais fortes. E ao longo desta vida aprendi a fazer das fraquezas, forças para me levantar e continuar. Eu não deixei de ser quem era, apenas me tornei mais atenta a tudo o que me rodeia. Vou continuar a batalhar todos os dias para ser quem sempre estive destinada a ser. Uma vencedora. Sim, vou escrever um livro, sim vou encontrar um amor tão grandioso como o outro, sim eu vou fazer a viagem às ilhas gregas. Vai demorar, eu sei, mas desistir nunca. A desistência é para o fracos, e isso eu não sou, posso deixar-me abater por vezes, mas sempre me levantei, e desta vez não será diferente. Porque depois de uma tempestade vem um sol radiante, e porque para mim existe uma luz brilhante que me guia na escuridão, tal como guia os marinheiros ao chegar à costa em dia de tempestade. Existe um farol que me ilumina o caminho, e um dia eu chego à costa, cansada porventura, mas com o sentimento de sonho cumprido.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

O pior Natal de Sempre

Estou mal, e vou ter o pior Natal de toda a minha vida! Sim, vou ter o pior Natal que poderia ter, porque a minha vida está num ponto sem retorno! Nunca odiei ninguém, sempre fui uma pessoa de coração aberto, e mesmo quem não gostava de mim, nunca recebeu nenhum sentimento negativo da minha parte, simplesmente ignorava e andava em frente. Só que hoje estou capaz de matar, sim matar, cresce dentro de mim um sentimento de raiva tão grande que se eu apanhasse uma certa pessoa seria capaz de com as minhas mãos afogá-la até que não tivesse um pingo de vida naquele corpo de merda. Lamento dizer isto, mas é um desabafo que tinha que por aqui. Sei que este post não está a fazer o mínimo sentido, mas, eu descobri algo muito grave de uma pessoa da família, que não sabendo viver com tudo o que tem, ainda perde tempo a foder a vida aos outros, que nada tem. São bem dadas as tareias que leva naquele focinho deslavado, e são poucas. Se em tempos pensei fazer queixa das tareias que ela levava, de hoje em diante sou capaz de lá ir dar um pau para que leve mais, forte e feio. Só me apetece chamar-lhe puta, ordinária, BRUXA! Devia contar ao marido a merda que ela fez, mas isso, só iria fazer com que ela fosse a correr fazer pior. Aiiii, que ódio. Um dia ela paga todo o mal que me fez, ai se paga. Acredito em DEUS, e na sua justiça, e sei que o que ela me fez terá o retorno que ela merece.
Não voltarei a ter o meu amor, mas ela pagará por isso. Quanto mais alto se sobe maior será a queda... eu eu estarei cá para ver.
Entretanto quero hibernar e poder esquecer...
Lamento a linguagem, mas estou no pior estado de sempre, igual, só no dia em que perdi o maior bem de toda uma vida...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Querido Pai Natal


este ano quero:



  1. Um trabalho, que estou mais que farta de estar desocupada,

  2. muita saúde, que as minhas tendinites andam assanhadas por tanto escrever no PC,

  3. harmonia aqui para o manicómio, estou farta de gerenciar esta casa de doidos,

  4. saúde para o meu Elvis, afinal é um gatarrão com 9 anos, e já entrou na terceira idade dos felinos,

  5. Paz, para todos, ok, pura utopia, eu sei, mas não custa tentar,

  6. Felicidade para o M. onde quer que esteja, com quem quer que esteja, e que continue a ser o maior pai do mundo para a J.

  7. Paz e muito amor para todos os amigos e leitores bloguistas,

  8. que o próximo ano seja bem melhor, mas mesmo assim o pior de todos os que se seguirão.

  9. que todos os animais tenham um lar, comida e muito mimo como os meus tem.

  10. bem tudo o resto fica por tua conta, que eu sei que tu sabes fazer as coisas...

Mais um achado...

Pareço um arqueólogo, só achados... bem não há dinossauros, só poemas. É o resultado das pinturas, obrigou a que mexesse em papeis antigos, que já não me lembrava por onde tinha deixado. Mas no caderno de poesia, encontrei alguns perdidos que ainda não transcrevi para o mesmo, mas que faço gosto em partilhar com os meus leitores. Ora cá fica mais um:

Se eu fosse o vento ia soprar à tua janela,
ia sussurrar ao teu ouvido,
diria aquilo que te quero contar mas não consigo,
ia dizer que te quero, mesmo que não faça sentido.

Se eu fosse o sol ia iluminar a tua janela,
ia acordar-te pela manhã,
beijava o teu rosto adormecido,
acordava-te com um sorriso.

Se eu fosse o luar ia espreitar à tua janela,
ia suavemente adormecer-te,
velava os teus sonhos,
dormia na tua companhia.

Quem me dera ser
o vento, o sol, o luar,
ter 24 horas por dia,
para te poder amar.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

A experiência

Bem, parece que me preocupei à toa. Afinal não existe ninguém magoado, existem é pessoas com duas personalidades...e eu é que sou daquele signo que "acusa" as pessoas de serem duas, lol. Ok, parece que eu é que fui enganada! E fui alvo de uma experiência, algo bizarra, mas enfim, desde que não me usem para experiências cientificas em laboratório, tudo bem. Obrigado ao meu Anjo da guarda que me protege de me meter em confusões piores, e obrigado e um certo marinheiro que me fez crescer como ser humano, como mulher e fez com que eu hoje saiba quem sou, e o que quero da vida. Obrigado M. por teres existido na minha vida, se um dia precisares de um porto seguro para aportar, eu estou aqui. Sei que se a coisa se complicar, me abrirás as comportas para eu me refugiar até a tempestade passar, mas eu tenho porto seguro para que possas aportar quando voltares da tua jornada por mares revoltos.

A porta está aberta...

Acho que nunca vou esquecer este dia ( 17 DEZ), e por uma razão que eu preferia que nunca tivesse acontecido. A sensação pela qual estou a passar neste momento não é de todo agradável. Quando alguém nos magoa, sentimos-nos a última pessoa do planeta, mas percebermos nós que também magoámos outros, não é de todo mais fácil. A resposta que há pouco recebi, se era a esperada, por outro lado foi mais cruel que o que eu possa ter pensado. O pior é que não foi intencional, e a ideia que deixei de mim, não abona em meu favor. No entanto nada mais posso fazer que o que já fiz. Pedir desculpa. Não foi intencional, mas não podemos mandar no nosso coração. Não amamos quem queremos, mas quem o coração escolhe, e isso, é algo que o próprio faz em determinadas situações, nas quais a razão não entra. Não aconteceu! No meu há imenso espaço para amizades, e neste momento apenas isso. Por muito que eu tente evitar, o passado arrasta-se atrás de mim como a minha própria sombra, há coisas que não podemos apagar! Desta vez fui eu que magoei alguém e lamento, ainda por cima, alguém que apareceu como um anjo na minha vida confusa, vindo do nada. Vida confusa, sim, porque já, em algumas ocasiões, em jeito de história algo cómica relatei algumas dessas confusões, porque no geral apenas alguns amigos sabem a confusão em que se tornou o meu viver, e há coisas que não poderei nunca expor neste blog. Não que isso seja alguma desculpa, que não é, mas o que aconteceu, foi um terrível engano. Eu ainda tentei que não sucedesse, mas eu não posso mandar nos sentimentos de ninguém, por mais que se peça a alguém que não se iluda, sei que isso não é fácil, eu própria sei que não é, também já me iludi, ou me iludiram, nem eu sei...

É triste magoarmos os anjos, mas, nada consegui fazer, que evitasse a situação.


Lamento! A porta da amizade continuará aberta, se quiseres entrar! Neste momento é o que posso oferecer!

domingo, 16 de dezembro de 2007

Outro achado...

O tempo passa, e eu fico,
o tempo passa e tu vais,
passa o tempo passando,
passa tempo demais.

Cada vez que o tempo passa,
é um lamento que dou,
o tempo passa e tu vais,
o tempo passa, eu não vou.

Passa o tempo que passa,
passa o tempo parado,
sempre que o tempo passa,
o tempo é passado...

Se o tempo passasse,
e eu também fosse,
o tempo que passava,
era um tempo doce.


Este não tem data, não me lembro quando o escrevi, mas não deixa de ter o seu sentido poético.

Achado...


Nem o silêncio da noite me aquieta a alma.
Nem o sossego das estrelas sossega o meu coração.
Sinto os destroços da tua passagem, tal qual uma tempestade;
Tento reunir os pedaços, mas nada posso fazer, a alma dói-me, o coração está
em destroços, enchem-se de água os olhos, tal qual um oceano revolto, um
turbilhão de ideias povoa-me os pensamentos. E só me apetece fugir.
De que serve a fuga, se nem a calma noite, nem o brilho das estrelas apagam
a dor que sinto.
Hei-de te odiar muito mais do que te amo.


Em 01/11/ ? , 2h 40m

sábado, 15 de dezembro de 2007

Do they know It's Christmas Time

Porque é sempre bonita esta música, porque foi feita com um grande objectivo, e porque também é bom ver as fronhas deste pessoal, que até metem medo ao susto. Agora estão todos com melhor cara...




E agora vou lá fora ver a chuva de meteoros, mesmo com este frio...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Só falta.....


A semana dos nove dias... porque as galinhas já tem dentes... lol.

Está no sangue...

Sou uma tia babada e muuuiiitooo orgulhosa. Sim, porque as alegrias que a pequena me dá no dia-a-dia, superam em muito os terrorismos permanentes. Costumo dizer carinhosamente que a pequena é filha de "Bin Laden", porque geralmente é muito reguila e travessa. Óbvio que é tudo fruto da idade, dos tempos modernos, etc e tal. A "gaja" tem pinta de artista desde muito pequenina, sempre gostou de chamar a atenção, canta, dança, e gosta de palhaçada. Ainda não andava e já do carrinho de bébé cantava bem alto para que todos a ouvissem, e quando ninguém estava a tomar atenção implorava gritando bem alto "Ei, Ei", obtendo o que queria cantava para todos a ouvirem, lol. Os anos foram passando e nós a levar com cantorias sem jeito, e danças algo sem sentido, outras algumas vezes mais coordenadas como o ballet, mas sempre nada que se parecesse com uma dança real. Eu que sou uma tia algo bailarina, gosto de tudo, e danço quase tudo se me esforçar, algumas vezes, tentei incutir na pequena o gosto pelo Samba, pois a garota obviamente não tem sangue de árabe terrorista, mas de brasileiro perdido por terras lusas. Não que eu saiba dançar Samba, mas dou um jeito, e nunca consegui que a garota me desse atenção, e fui achando que nunca ela iria gostar desse ritmo. Não é que hoje, estando a passar na televisão uma novela brasileira, a minha irmã a chama para ouvir e tentar dançar. Surpresa das surpresas.......... esta danada tem Samba no pé! Não é que sem nunca ter dançado, porque nunca em nenhuma vez ela reparou, ou tomou atenção em nenhuma das minhas tentativas, sai um samba ritmado. Não dançou um Samba correcto, como ele é dançado, mas fiquei a perceber que se um dia eu souber dançar o mesmo correctamente é com ela que irei aprender, porque naqueles 5 anos há muito ritmo, e muiiiitooo jeito para a coisa. Está no sangue, não há que negar, foi uma actuação perfeita, sem nunca ninguém ter conseguido um olhar que fosse, dela para este ritmo tão "caliente". Sou ou não sou uma tia babada e orgulhosa?

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Desafiada novamente.

Mais um desafio da Existência, ora cá vão as minhas respostas


a)Cinco bens que tiveste no passado mas já não tens e sentes saudades ou nostalgia deles:
  1. a minha bicicleta a pedal Órbita, de banco corrido
  2. a Shach V5 , do meu pai ( que andava que se desunhava)
  3. as minhas galochas com uns olhos, perecidas com um sapo veemelho ( fartei-me de cair, nem por ter dois olhos em cada pé, andava sem cair, isto aos 11 anos, lol)
  4. a primeira tv cá de casa, uma Sanyo a preto e branco, pequenina que até trabalhava com uma bateria de automóvel.
  5. dois bonecos ( cães, um de plástico, e outro de borracha, humm esse acho que anda pelo sótão, tenho de verificar, que nostalgia dos meus bichinhos), de quando era bébé, mas que adorava!

b) Cinco bens materias que possuis actualmente. Que mais gostas e não vives sem.
  1. Computador
  2. Computador
  3. Óculos de Sol ( uma necessidade dos meus blue eyes)
  4. máquina fotográfica

Não tenho bens materiais, relevantes, sou tão desprendida...


c) Cinco bens materiais que pensas adquirir nos próximos cinco anos.
(opcional : porque não os adquiriste antes?)

  1. Casa
  2. Carro
  3. Guitarra eléctrica ( penso oferecer auriculares a toda a gente)
  4. Uma viagem ás ilhas gregas conta?

só estes, não sou muito materialista, não adquiri antes porque a vida não tem ajudado.


d) Cinco bens materiais que gostaste de oferecer a cinco pessoas diferentes. (opcional: porquê)

Geralmente ofereço coisas úteis, que não considero bens materiais e não podem aqui ser considerados.


e) Cinco bens materiais que sonhas em ter. Mas que sabes não vir adquirir.

  1. Uma casa num farol á beira mar
  2. Um veleiro
  3. Um Rolls Royce
  4. A Microsoft ( ai se o Bill sabe...)
  5. Uma reforma milionária ( se conseguir uma reforma já será uma sorte)


f) Cinco amigos a quem passo este desafio, mas têm mesmo que fazer.

Não tenho cinco amigos para passar o desafio até porque já está quase tudo desafiado noutros sitios, mas :

A menina do blog da lua.
Caixa Preta
Gato Pardo, sei que já foi desafiado noutro lado, mas fica a intenção.

Diz que não é um mau prémio...








(OK, problema solucionado, basta ameaçarmos que queremos desconto que as coisas ficam logo a funcionar.)
Recebi este prémio da minha amiga Existência, e é meu dever publicá-lo e reencaminhar para os meus companheiros da blogosfera.

Regras:
1. Este prémio deve ser atribuído aos blogs que considerem serem bons, entende-se como bom os blogs que costuma visitar regularmente e onde deixa comentários.
2. Só e somente se recebeu o “Diz que até não é um mau blog”, deve escrever um post:- Indicando a pessoa que lhe deu o prémio com um link para o respectivo blog;- A tag do prémio;- As regras;- E a indicação de outros 7 blogs para receberem o prémio.
3. Deve exibir orgulhosamente a tag do prémio no seu blog, de preferência com um link para o post em que fala dele.
4. (Opcional) Se quiser fazer publicidade ao blogger que teve a ideia de inventar este prémio, ou seja – Skynet - pode fazê-lo no post).

Bem, agradeço o prémio, e vou tentar deixar a nomeação a mais sete outros blogs que visito, correndo o risco de repetir o prémio em alguns casos, mas para esses a tarefa é simplificada, porque recebem mais que uma vez o prémio, e só tem de o fazer uma vez.
And the nominees are:
Existência ( é repetido, mas é mesmo um óptimo blog, que visito sempre)
Espero estar a proceder como manda o regulamento. E pessoal toca lá a exibir o prémio!

Grrrr, quero um desconto...

Vou querer um desconto na mensalidade da Internet! Estou sem Internet, e parece que há pelo menos três dias para me consertarem a linha. Estou no PC da minha irmã a gastar a net dela, que é uma caca, demora uma eternidade para abrir qualquer página, banda larga não é grande coisa, pelo menos esta que ela tem. Por isso caros leitores, é bem provável que durante estes dias eu não venha postar nada, responder a comentários, ou fazer comentários nos vossos blogs. Ainda vai demorar a responder aos desafios lançados pela Existência ( não posso por aqui o link, que o PC é uma caca e não consigo aceder), mas está aqui ao lado em "outros olhares". Se me resolverem a questão, eu volto logo. Portanto vou estar off, algum tempo. GRRR. E agora vou almoçar que o almoço está a ficar frio, e tenho de deixar de gastar a net à mana.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Esgotada

Finalmente terminei as pinturas! Estou esgotada! Não ficou nada do que eu queria. E agora falta a pior parte, a remodelação ou redecoração, ou lá o que é. Os acabamentos, são sempre o pior! Depois, quando estiver o processo concluído ponho fotos, para recolher opiniões. Ponho-me com ideias avançadas e claro, a bronca é o passo seguinte. As cores na parede saem mais escuras, que o que está na lata. Logo nada fica como previsto! Enfim o que está feito, feito está! Com o tempo vou habituar-me, e pensando bem, não está mal de todo! Só tenho que decorar a condizer, e a ver vamos.

Em curto circuito!

Estou assim, como esta foto! Em curto circuito. Desde já adianto, que não vale a pena perguntas sobre o assunto. Estou e pronto! Se irá passar e quando, eu não sei. Há muitos meses que assim ando, por vezes melhor, por vezes pior. Depois da tempestade vem a bonança, lá diz o ditado, pior é quando a tempestade teima em resistir, mês, após mês!

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Estou intrigada...

Quando vou ao meu contador de visitas, posso ver a hipotética localização dos meus leitores, e se chegam ao blog directamente, ou através de outros blogs, etc. Até aqui tudo normal, tenho visitas dos mais variados pontos do globo, e de Portugal. Há no entanto uma localização que me intriga. Oslo na Noruega. Como a visita se repete, pergunto-me se terei por lá algum(a) leitor(a) assíduo(a), e se será algum(a) português(a) que por lá habita, ou mesmo alguém que perceba português, ou se o meu blog, será apenas uma porta de passagem para outras paragens na blogosfera. Isto tem-me deixado intrigada, sei que poderei ter visitas até de Marte, Plutão, China, Lua( o que não falta de gente na lua... :) ) e sei lá mais onde, mas uma tão repetida, de tão longe, deixa-me curiosa. Deixo um apelo, se puder manifestar-se, eu agradeço, gosto de ter feed-back dos meus leitores.

Às cores...

Ando numa de pinturas. Fartei-me de paredes brancas e toca de trocar as cores do cenário. Nem quero ver no que me vou meter... Começo pela parte de escritório, as meias paredes laterais em rosa quase choque( chocada fiquei eu quando a tinta secou e revelou a cor final). Agora vem a parede de fundo em azul céu, mas aquele céu mesmo muito azul. O resto, será branco, e a outra parede de fundo será azul, porque é no quarto, e a cama de ferro apesar de ter uns ferros e umas roselas às cores, na sua maioria é branca, logo a parede onde vai ficar terá de ter uma cor que a faça ser visível. Sempre quero ver no que vai dar. Eu e as minhas ideias, é o que dá ter muito tempo disponível, e pouca coisa para me distrair. Há que pintar uma telas, para decorar as paredes, sim , que também me vou aventurar com as telas e as tintas e ver se tenho veia de artista. Se correr bem, faço umas fotos das telas, a ver depois chove alguma encomenda, quem sabe sou um "Picasso" e nem dei por isso ainda.

domingo, 9 de dezembro de 2007

A grande confusão

Hoje estou um pouco confusa, comigo mesma! Céus! Detesto quando isto me acontece. Se há coisa que detesto são confusões, ainda mais quando sou eu a confundir-me. Acho que vou hibernar, e quando passar volto novamente.

If you were a sailboat

Adoro esta música! É linda!




Simples e linda. Dedico-a aos anjos deste planeta.

sábado, 8 de dezembro de 2007

O deserto

Afinal para que trouxe o Kadhafi, as sete fêmeas de camelo para Portugal? Terá ele ouvido o ministro, e terá pensado colonizar a margem sul? Será que ninguém lhe disse que isso, foi antes de os camelos terem imigrado para S. Bento? É que isso foi há muito tempo, agora aqui já não há camelos, e o kadhafi vai ter de ir lá para a terra dele e levar as camelas, e se, se descuidar arrisca-se a levar uns quantos camelos clandestinos no meio da comitiva, é que apesar da seca que anda por aí, consta que em S. Bento, já nem os camelos se aguentam.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Estou possessa...

Não sei o que se passa na cabeça desta gente, as noticias cada dia mais, me põe fora de órbita. Começo a não ter saco para as autoridades e para as instituições que deveriam policiar os casos de menores em risco e não o fazem. Cada dia que passa os telejornais tem novas noticias de negligência, abusos, maus tratos, abandonos. O que se passa com esta gente afinal? Nem os filhos respeitam? Hoje era mais um caso de um menor agredido pelo pai. Parece que a criança já estava referenciada pelas autoridades, é sempre assim, estão referenciados, mas ninguém faz nada, só depois de as crianças serem brutalmente agredidas, violadas, ou maltratadas até à morte. --dasse, que isto parece um país de terceiro mundo. Ainda falam dos países pobres... e afinal, não seremos nós pobres também? Pobres de espírito é certo, mas que não somos um país que se possa dizer desenvolvido, isso é certo. É tão bonito gastar milhões com uma cimeira com África, para fazer bonito junto da UE, quando cá dentro a casa está desarrumada, francamente. Portugal, sempre gostou de se mostrar, de viver de aparências, mas há que arrumar a casa, e não andar a tapar com uma peneira... Recebe-se o Kadhafi, com um séquito de tropas, camelas(sim porque são fêmeas), uma tenda, comida trazida por ele, guarda costas são 16, sendo 7 mulheres, uma limusina enorme blindada, não vá ninguém querer por cá assassinar tal figurão... Depois vem o Mugabe, que merecia enforcado antes de ter saído da terra dele... não que eu tenha maus fígados, desejar tal coisa ao homem, mas a crise humanitária do Darfur, e os massacres, são um bom indicio daquilo que ele merece. E o nosso primeiro ministro cheio de sorrisinhos, para parecer aquilo que é... A tentar ajudar fora, sem olhar para o que tem dentro de "portas". Quando é que os nosso "desgovernates" olham para dentro de portas e percebem de uma vez, que isto tem de mudar por completo? Ainda bem que eu, estou a adiar meter-me na política, porque se o fizer, vou durar muito pouco. Não me vão aguentar, e de certeza que terei uma morte misteriosa, se meto na política, mas que vão ouvir das boas, isso ouvem de certeza.

as surpresas desta vida...

Eu sei que não são horas de andar por aqui, mas, ando e pronto, que ninguém se vai importar,( vou eu amanhã que tenho de levantar cedo). Andando a circular, na blogsosfera, e querendo ir ver os blogs amigos, como alguns são do sapo, fui "impedida" de o fazer, os blogs do sapo sofreram um "piripaico", e parece que programado, tipo "limpezas" de Natal, para que fique tudo a brilhar. E ainda tinha a lata de nos mandar para a cama, que eram horas para tal. Gostei, de ver, sim senhor, um dia destes migro mesmo para lá.
Tenho andado meio arredada dos blogs, por boas razões diga-se ;) , e prometo que logo, logo, vou visitar os amigos, e deixar as minhas "deziduras" habituais.
E sim agora vou dormir, e sim, vou sonhar... com os anjos... ;) porque sei que quando menos esperamos, há um que aparece para nos fazer sorrir de novo, mesmo quando os dias estão assim com este nevoeiro desta semana. Mas o sol, parece estar de volta... Só há que não criar demasiadas expectativas. Como alguém dizia no msn: "pior desilusão, é a ilusão do pensamento!"Palavras sábias, que valem tanto para mim, como para vós, a até para quem é Anjo. Eu já aprendi, a não criar ilusões, assim as surpresas são sempre melhores...
Durmam com os anjos, mas deixem um, só "unzinho" para mim... Boa noite!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Help ... que se passa aqui...

O meu computador não anda bem, ou a internet ou o quê...? Não sei o que se passa, com isto, está lento, não me envia os comentários do blog para a caixa de correio... vou migrar para o sapo... Ia, o que tu queres sei eu....!!!
O meu mail, está há 15 minutos para enviar uma mensagem... socorro, daqui a pouco a caixa do destinatário fecha... ;)
Aiiii, tem dias que parece que o tempo pára...

Um pedido de ajuda...

Hoje venho deixar um apelo! Uma amiga tem três cãozinhos para dar, são dois meninos e uma menina. Vou deixar fotos do pai, porque os bébés são iguais. Informo, que não são de raça pequena, são médio/grande (Cerca de 20/25 Kg), mas são giros. A quem tiver amor e um lar para lhes dar, é favor enviar mensagem pelo blog que depois entro em contacto. Mas só responda mesmo quem estiver realmente interessado em dar um lar e amor a estes animais, que eles precisam de muito carinho, e de uns donos á altura, que depois não os abandonem.



O pai babado quando era bébé.
O pai em adulto, segundo a Hanah, são cópias do pai.
Pessoal, só respondam se estiverem mesmo interessados em assumir um animal.
Os filhotes, estão na casa de um vizinho, dono da mãe dos bébés, tem um mês, mas ela só
agora soube. Se não forem adoptados, vão ser abatidos, segundo a minha amiga.



quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Silver blue...

Mais um vídeo daqueles que eu gosto...



E agora são horas de ir fazer ó-ó, e dormir com os anjos, sim, eles andam aí! Podemos não os ver, ou sentir, mas não nos deixam cair, e isso, é o que conta.

Na minha cabeça....

Esta música tem andado a passar na rádio e tem andado a tocar na minha cabeça.




Por vezes, as músicas só nos saem da cabeça quando outra tomar o seu lugar, por isso, prevejo que esta ainda me vá durar uns dias, a tocar na minha tola...

Para a ouvirem convem que desliguem o rádio que está à direita...

domingo, 2 de dezembro de 2007

Mais filhos...

Num dos canais públicos portugueses, aparece no anúncio de um programa de debate o nosso P.R. que diz assim:
"Eu não sei o que é preciso fazer, para os portugueses terem mais filhos!

Hello, eu serei dahhh...

Em primeiro lugar SEXO, não? Depois SEXO, e ainda SEXO, não? E é tão booommm, o Sr não sabe? Pois, nem eu lhe vou dizer como...

E depois SR P.R. sim, há que aumentar os postos de trabalho e os ordenados, baixar as rendas, baixar os impostos, melhorar o sistema de saúde, e sim se quiser dar incentivos a quem merece, não é a quem aufere rendimento social de inserção, que esses não precisam de incentivos para aumentar o número de pessoal que não quer trabalhar, multiplicam-se mesmo como os ratos, nem precisam de incentivos do Estado. Com os incentivos actuais são os que mais recebem para se multiplicarem, como os ratos, à dezena... e depois são mais uns quantos á mama das instituições sociais, ele é infantário, é banco alimentar, e por aí adiante, mas trabalhar? Ai isso faz calos. Pois aos restantes portugueses que trabalham por ordenados miseráveis, e descontam os seus impostos, também faz calos, mas têm barriga e há que por comer na mesa todos os dias, e os infantários e a escola custam uma nota preta, e nos infantários do Estado, para onde enviamos os nossos impostos, as vagas são para os filhos desses que vivem á conta do orçamento... E afinal para que é o tal debate? Enfim, gastar para nada, o horário nobre da TV pública, quando podiam enfim, passar um filme do Chaplin, sempre tinha mais graça. No entanto acho que estou a perceber a ideia, com um debate desses é para o pessoal ir mais cedo para a cama, a ver se resulta....

sábado, 1 de dezembro de 2007

Aviso importante....


Aos pais, crianças e a quem mais possa interessar! Muita atenção:



O Noddy é um Mentiroso!




Sim, o Noddy é um mentiroso, tem filhos e nunca disse nada, faz-se de santinho, e no final das contas, já tem prole...


Ontem estava eu num café, quando entra uma sra que em conversa com uma amiga diz esta frase: "Comprei umas pantufas para os meus filhos do Noddy!


Agora digam lá com que cara fica uma pessoa ao ouvir tal coisa e tendo em casa uma fã do dito cujo. Fiquei furiosa, e já escondi os dvd, que farsante. E quem é esta sra que apregoa os filhos do Nody? Só faltou a amiga também dizer : "Ah, e eu comprei pantufas para a minha filha do Ruca!"




Aiii, a língua portuguesa, que de vez em quando faz o pessoal meter o pé na argola, e claro o facto de falarmos tão bem a nossa língua...


lolol....

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Fui desafiada... já arregacei as mangas...

Bem, vou aqui responder ao desafio da amiga Existência, que eu não sou de deixar quem me desafia sem resposta, além de que ficou bem expresso que não ia aceitar um não como resposta, portanto não há por onde possa escapar:

O que te choca:
Chocam-me os abusos sexuais a crianças, e não só, os maus tratos a animais, a hipocrisia de alguns que se dizem humanos.

O que te arrepia: Arrepia-me pensar em coisas frias, arrepia-me que me mordam os lóbulos das orelhas, arrepia-me pensar nele, mas por boas razões...

O que te excita: Excita-me, ora excita-me, ora bem não posso dizer... e bem um chocolate com menta também é excitante;

O que te solta: Hum, deixa ver o que me solta? Amar, amar de verdade é capaz de me fazer soltar, e não é só nesse aspecto que poderão estar a pensar...

O que te faz rir: Tanta coisa... os meus animais, a minha sobrinha, uma boa piada/anedota, situações caricatas, e por vezes a estupidez de alguns;

O que te faz chorar: Desde que nasceu a minha sobrinha tornei-me uma torneira sempre pronta a abrir, por isso, quase tudo me pode fazer chorar, por boas razões ou nem por isso...

O que te causa náuseas: Depende do meu estado de espírito, por vezes até as coisas mais insignificantes me podem deixar com náuseas, outras até o cheiro mais insuportável, não me abala;

O que te falta para seres feliz: Um trabalho, e sair de casa dos pais rumo á independência que já estou mais que fora de prazo para estar aqui...

O que te traz infelicidade: Estar desempregada e desejar tanto ser independente, pensar que não vou ter filhos...

O que te magoa: Pessoas falsas;

O que desejas: Ai o que desejo... tanta coisa... ter uma casa, um trabalho, saúde, ser mãe, felicidade para todos, publicar o livro que estou a escrever, o primeiro de outros que se seguirão, ir ás ilhas gregas, por causa do mar e dos gatos;

O que receias: Esta pode parecer estupidez, mas o que mais receio é ser dada como morta, e depois acordar sete palmos abaixo do solo... por isso, costumo dizer que quero ser "cromada", porque sou um grande cromo ;), perder aqueles que amo;

O que não queres perder: A capacidade de fazer rir quem está próximo de mim, a capacidade para escrever, as boas oportunidades que a vida me apresentar, a lucidez ( ás vezes acontece);

O que queres alcançar: A imortalidade, lol, bem se publicar algum livro... quero ter a minha casa, um amor puro e verdadeiro, e um filho, a árvore eu já plantei, e mais que uma, por isso, processo meio concluído;

Uma data que abomines: Precisamente esta época que estamos a viver, se pudesse hibernava até 5 ou 6 de Janeiro;

Uma festividade que adores: aquela que dura mais que a vida, lol, o Carnaval;

Uma qualidade que aprecies numa pessoa: Tantas, a sinceridade, a amizade, a amor desprendido, a beleza interior, o altruísmo e muitas outras;

Uma característica que abomines numa pessoa: A hipocrisia, a mentira, a violência;

Uma mentira que tenhas dito: Ui, esse campo, é um campo minado... não, já disse algumas quando era mais nova, agora quando muito digo algumas piedosas, tipo á minha sobrinha para ela não me chagar a cabeça...

Uma nostalgia: A minha infância aqui no campo com os meus primos, alguns desenhos animados dessa época, a inocência da minha juventude;

Este desafio deve ser passado a 5 amigos, por isso cá vai, pensando bem não há muito a quem passar este desafio, ainda tenho poucos "blogs amigos", embora ande a treinar para aumentar as amizades...

Smootha.
M.
O rapaz da lancheira, sim é contigo, se leres isto, desafio-te, lol
Gaja

e pronto, só desafio estas quatro pessoas, porque são os blogs que mais frequento, e há outros que já estão desafiados noutros lados.

O meu gato come couves...

Há uns posts atrás falava do gato preto, (que vive cá em casa), por alturas do Hallowen, hoje vou falar do meu Gato, sim do meu trambolho enorme. Este é meu, só meu, e de ninguém mais. Andando a circular aqui por casa resolveu saltar para cima da mesa para ir pedir mimos à avó, e tendo ela estado de volta da hortaliça para a sopa, ainda não tinha limpo o estrago, quando lhe salta para a frente o dito cujo, e não vai de modas desata a comer couves...lol.


Cá fica a prova:





Lol, ele não está a comer, mas parecia, e resolvi fazer uma foto.
Eu sou uma "mãe" responsável, e o menino come as suas ervas, sim que os gatos e os cães comem ervas para se purgarem e limparem o estômago, libertando-se de pelos e outras coisas que só eles sabem.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Wish you where here...

I ask where are you, my angel!?
Porque hoje, estou assim, com um sentimento de solidão tão grande, quanto a imensidão do mar...





Mas, sei que amanhã o sol vai brilhar de novo...

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Mais uma! Música claro...

E já que estou em maré de vídeos, mais este, que eu andava a cantarolar, e sabia que só podia ser Gwen Stefani. Não é que conheça lá muito bem a artista, porque geralmente ouço outro género de música, dá para ver pelas disponíveis no rádio do blog, mas como até tenho bom ouvido para a música, geralmente até costumo descobrir pela voz quem estará a cantar, ou não...




Gosto desta...

Buáá, eu quero ir....

Buááááá, eu quero ir ver os Scorpions a Lisboa. Buáááá, não posso, maldito desemprego, buááá.
Vida ingrata, não podiam vir só daqui a uns tempinhos. É que agora até estamos no Natal, o dinheiro é curto( pois aquilo nem vai estar cheio nem nada), que inocência a minha... mas não me vou endividar para lá ir, mas que gostava de lá ir, gostava. Bem fica um vídeo com uma música daquelas intemporais: Still Loving You



Como eu gostava de poder ver, e ouvir isto ao vivo, enfim, é o que se pode arranjar.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Passeando pela blogosfera...

Ando a passear pela blogosfera, e a saborear umas pastilhas "Droste", chocolate negro, alguém quer? Adoro chocolate negro, amargo ou com menta, mas este, só mesmo partilhado a dois. É que a menta tem poderes, que saboreados a dois.... humm, aiiii, céus o que me haveria de lembrar a estas horas! Certa vez, alguém se ofereceu para me dar a provar Magnum com pimenta, saiu para o ir buscar, e me vir buscar, e ups, foi um ar que lhe deu... Foi do tipo, saiu para comprar tabaco e nunca mais voltou. Ou não achou o chocolate, ou foi bater a outra porta com o dito na mão ( o chocolate) ;). Depois nunca mais falou no chocolate, e tempos depois, também nunca mais falou... Espero que tenha a companhia certa, e que goste chocolate, mas sinceramente também espero que quando o partilharem, tenham uma daquelas cenas em que as tripas e o cú não se entendem, para cada um... daquelas em que nem o "Imodium" os safa... lol.
Vou continuar a viagem, pela blogosfera, em vez de estar para aqui a desejar revoluções, porque até parece que estou a ser castigada pelo que disse, e já estou a sentir que vai haver revolução e é para mim....aiii....

domingo, 25 de novembro de 2007

um pouco de cultura... lol

Torne-se um poliglota...

Russo

Conjunto de árvores: boshke
Insecto: moshka
Cão comendo donuts: Troski maska roska
Piloto: Simecaio patatof
Sogra: Storvo


Alemão

Abrir a porta: Destranken
Bombardeio: Bombascaen
Chuva: gotascaen
Vaso: Frask

Chinês

Cabelo sujo: chin-champu
Descalço: chin-chinela
Top-less: chin-chu-tien
Náufrago: chin-chu-lancha
Nudista: chin-calção
Pobre: chen-luz, chen-agua, chen-gaz
Hemorróida: cuxaixang

Japonês

Adivinhador: Komosabe
Bicicleta: Kasimoto
Fim: sakabo
Fraco: Yono-como
Roubaram-me a moto: Yonovejo m'yamaha
Se foi: Non-ta
Ainda tenho sede: Kiro-maisagwa

E agora já podem viajar à vontade pelo mundo, sem barreiras linguísticas, lol.

sábado, 24 de novembro de 2007

Pica miolos

Numa pesquisa de imagens sobre uma tema que gosto, nada fazia prever que me saísse esta imagem, porque era um tema banal, "full moon", na tentativa de encontrar um quadro que vi e gostei, aparece-me isto. Conclusão a que cheguei?
Esta gente de certeza que não conhece o "Pica Miolos"

Um pouco de algo ainda inacabado...

Mais um cheirinho do meu livro....



"As raparigas foram para a praia, e aproveitaram para fazer uma longa caminhada á beira-mar. Os rapazes paravam para olhar a beleza das duas raparigas, alguns mandavam piropos, outros simplesmente faziam acrobacias na tentativa de captar alguma atenção, mas nenhuma das duas deu troco, apenas sorriam uma ou outra vez, quando o piropo tinha alguma graça, não deixando no entanto de olhar também para alguns belos exemplares que por ali aproveitavam o tempo quente e gozavam as delícias de uma tarde de Verão.
O por do sol na praia era sempre algo muito bonito e as duas amigas ficaram, a observar aquele momento mágico, sem dizer nada, por uns bons minutos. Um jovem, que também observava o momento, mete conversa com as duas amigas:
_ Olá, sou o Nuno, posso sentar-me aqui perto de vós?
_ Olá Nuno sou a Teresa, esta é a Joana, claro, senta-te. "

Isto vai a conta gotas, mas um dia destes ganho uma inspiração extra e vai de seguida.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Sinto-me segura...

Sim, sinto-me segura! E porquê? Porque atendendo ás circunstâncias, e aos acontecimentos de hoje, aqui neste pequeno pedaço de Portugal, deu para perceber que em caso de um acontecimento de elevada magnitude, os meios de socorro estariam prontos para actuar, em muito pouco tempo. Um voto de louvor para as unidades de salvamento que operam nesta zona, que hoje tiveram um dia bem trabalhoso, mas que mostraram que poderemos contar com eles, sempre. Lamento os feridos dos dois acidentes, os do autocarro pela manhã, e os da explosão, que nesta época se viram privados das suas casas, por tempo ainda indefinido. Eu vivo bem próximo do local do acidente com o autocarro, sim vivo na freguesia de Poceirão, a melhor do concelho de Palmela, ou não vivesse eu por aqui. Setúbal fica entre 18/21 quilómetros dependendo da estrada que se usa para lá chegar, e foi no HSB, que eu nasci. Por isso, conheço o local da explosão, e até agora que eu saiba, não atingiu ninguém da minha rede de amigos, embora morem alguns no bairro, mas lamento os feridos e as outras pessoas que estão sem as suas casas. O meu post visa apenas os meios de socorro da área, pois, por duas vezes hoje mostraram o seu valor, acudindo de forma muito rápida a ambas as solicitações. No acidente da manhã, eu até penso que estes profissionais, voaram, pois eu vi passar o autocarro, e alguns minutos depois comecei a ouvir os meios de socorro das povoações vizinhas que ficam a 15 quilómetros, uma vez que os mais próximos Águas de Moura, foram os primeiros a chegar e não passam junto á minha casa. Tendo em conta que o acidente ocorreu a cerca de 10 quilómetros da minha casa, por volta das 11.30 h, e ainda antes do meio dia já tinham passado aqui imensos meios de socorro, é obra. Estamos protegidos, sim. De salientar que levei um daqueles sustos ao ouvir tanta sirene e ver passar tantos meios de socorro. Susto maior tiveram todos os envolvidos nos dois acidentes, mas felizmente não houve vítimas de maior, ainda bem.
Bem haja para os bombeiros, de todas as corporações aqui do distrito, que mostraram o seu enorme valor, e que muitas vezes não é reconhecido por quem de direito. A salientar que os Bombeiros de Águas de Moura, vão construir novo quartel, depreendo que todas as ajudas serão boas! Eu vou ajudar no que puder e for solicitado á população!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

A prenda...

Cum catano, isto de comprar prendas de Natal, não está com nada, sinceramente. Tal como referi num post anterior, eu não gosto desta época, e preferia hibernar até 4/5 de Janeiro, até me passar esta depressão anti-natal. Mesmo não gostando da época, não posso deixar passar sem dar presentes a algumas pessoas, tais como os miúdos. E é aí que está o problema, nunca sei o que comprar. Além de felizmente ( ou infelizmente) terem quase tudo, os brinquedos estão caros, e eu não ando a nadar em dinheiro. O mais complicado de todos será o da minha sobrinha, porque de todos é a que me é mais próxima e além disso também sou madrinha, o que me complica um pouco a coisa. Esta "piratinha", nome carinhoso que lhe chamo, tem bué bonecos, mais parece um orfanato apinhado, cheio de crianças por adoptar. Tem computador, tem cadeiras de bébé, tem cozinha, e tralha a dar com um pau, bem como Barbies e roupa, e tv e dvd. Ela gosta muito de cavalos, já tinha uns quantos, e eu pensei dar-lhe de presente uns muito bonitos que vi. Mas como nem sempre as coisa são como queremos, quando foi visitar o pai, num fim de semana destes, veio para casa com um monte de cavalos de todas a cores, cheios de acessórios. Estragou-me o esquema. A cavalariça está com lotação esgotada, não cabe nem mais um cavalo, nem pónei, nem burro, e depois com o tempo que andamos a ter nem vai haver palha ou erva para tanto cavalo, quanto mais ainda lhe aumentar a colecção. Não sei o que fazer, está tudo com lotação esgotada, o orfanato, a cavalariça, a cozinha já tem tudo, os legos já são mais que as caixa, enfim, acho que vou optar por uma roupita, correndo o risco da minha irmã fazer cara feia, mas que se dane, é a minha prenda e ponto final. Eu não lhe vou oferecer objectos tipo acessórios de casa, tais como aspiradores, ferros de engomar, baldes e esfregonas, não acho graça, terá tempo de se ambientar com isso daqui a uns anitos, isto se não for esperta o suficiente para encontrar o gajo certo :) lol.

Um post que começa bem, mas perde o sentido a meio...

Ultimamente dou-me conta que estou num momento bom, enquanto gaja, que sou, na casa dos 30 e... poucos. Se quando mais nova, era totalmente imberbe, de há um ano para cá, as coisas mudaram como da noite para o dia. Mudança positiva diga-se em abono da verdade. Só tenho a agradecer a quem me "ajudou", que não vou revelar quem foi, mas serviu para que a minha auto-confiança subisse e bem. Há dias em que desce um pouco, mas logo volto a abrir os olhos para a vida que tenho pela frente e a força que ganhei está cá, pode estar escondida, mas está cá toda. Esta nova auto-confiança, traz-me maturidade, coisa que eu tinha pouco, tinha uma visão um pouco "gaiata" das coisas, e desistia muito facilmente quando me deparava com os obstáculos. Neste tempo aprendi a contorná-los, percebi que são como as obras nas estradas, podem estar a fechar-nos o caminho, mas há sempre um desvio que nos leva onde queremos, podemos demorar mais um pouco, mas vamos onde queremos em todo o caso. Neste momento é assim que está a minha vida, com obras no caminho, mas há que seguir pelo desvio, vou demorar mais um pouco, mas vou chegar onde planeei. Sim, eu vou lá chegar, vou dar uma volta maior, mas este é o caminho que me vai levar a um lugar que eu desejo, o meu canto. Será um local de portas abertas para todos os amigos que lá queiram entrar e partilhar comigo, tempo, conversas, segredos, risos e até momentos menos bons, sim porque todos os temos, e devemos partilhá-los, para diminuir o desconforto.
Caramba, estou no bom caminho, a verificação de erros ortográficos não detectou um único erro neste texto, uau, eu sou mesmo BOA, e como o milho, lol. Há por aí alguém que não goste de milho? Se não gosta também escusa de se manifestar. Hum, ando a pensar se o bombeiro que me deita uns olhos gulosos, há que tempos será mesmo casado, comprometido, ou algo dentro do género. Vou ter de averiguar, é que se não for, um dia destes desmaio bem na frente dele, lol. O pior é se ele chama os outros e me deixa a "morrer"... Céus, eu só posso estar a ficar doida, não? O que eu me haveria de lembrar, mas é que os bombeiros costumam dar para nós gajas fantasiarmos um pouco. Ele são as fardas, as mangueiras, ui as mangueiras... Socorro, já estou em chamas.... Ele só tem um defeito, fuma, e eu prefiro outro tipo de fogo...
Tenho pena de não conseguir carregar o filme desta imagem, é intenso, lol.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Já chove....

Já chove!! Que bom!? Este vento é que não está com nada. Faz com que a chuva entre nos sítios onde geralmente não entra. Eu estou falar da chuva, não é do sol, isso onde o sol não entra é noutro departamento. Agora falo de chuva, essa água que vem do céu para alegrar as plantinhas, rios, lagos e albufeiras. Faz muita falta, embora com este vento se torne aborrecida, porque faz com que esteja tudo molhado, mas mesmo tudo. A humidade trespassa paredes, telhas, e frestas. Mas finalmente, o tempo está no tempo certo! Espero que chova o suficiente, para que as plantas cresçam, para dar pasto aos animais, e algumas para nós. Que encham as albufeiras para dar água, para a electricidade, e para o que for necessário quando não chover.
Que venha chuva! Enquanto for necessária.
Tenho boas recordações de chuvas anteriores! :)
Nesta altura também gosto de estar junto ao mar! É tão bom, ver um dia cinzento na praia, o mar algo revolto. Gosto de apreciar uma trovoada no mar, se for á noite então... é um fenómeno bonito, algo perigoso, para quem anda no mar, eu sei. Por isso admiro os pescadores que se fazem ao mar, para trazerem um alimento tão importante, e nós não lhes damos o devido valor. Enfrentam tempestades, correm risco de vida, mas por outro lado vivem o mar como a própria vida. Lá irei logo que possa, ver chover no mar. Agora vou apenas ouvir, o bater da chuva, desta vez, na minha janela...

Mais uma vez fica um vídeo, da minha banda favorita, com a minha música, The rain. Condiz com o tempo, e a melodia é linda, pelo menos eu gosto. Desta vez não é ao vivo, mas mostra alguns momentos desta banda.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Ego em alta.

Pois é, este fim de semana, serviu para que o meu ego tenha subido em flecha!
Sábado jantar de gajas, convidada pela minha melhor amiga. Era um jantar marcado há imenso tempo, que a vida fez questão de adiar, mas que ontem aconteceu. Como é da praxe há sempre alguém que á última hora se desmarca, obriga a alterações de planos, mas no final, tudo se resolve a lá fomos. Depois do jantar, bar, depois do bar, dançar. Há que tempos que não o fazia, sinceramente achei que até iria trocar os pés, e dar espectáculo (pelo pior claro). Mas isto quem sabe sabe, nunca esquece, e eu que adoro dançar, claro está, não podia fazer figuras tristes. Saí-me muito bem, sim claro, sou uma dançarina profissional. Depois, é daquelas alturas em que os 30 nos fazem ver que estamos em boa forma, que somos mulheres, e claro quando nos sentimos bem, isso reflecte-se de forma positiva. Há imenso tempo que não "brincava", com as trocas de olhares, com os suaves roçar de braços. Enfim, sentir os olhares atrevidos dos homens faz-nos sentir vivas, e perceber que há um longo caminho com muitas surpresas, que só depende de mim, escolher aquelas que podem trazer alegria.
Hoje lá resolvi aceitar um convite pendente de um amigo, bem mais novo, e lá fui tomar um sumo, com ele. Ok, não é que o moço, me anda a fazer a corte? Que faço eu, da vida? Claro que isso eleva o ego a uma gaja, seria parvoíce não o admitir, mas não quero que ele acabe por se magoar, eu não o vejo para além de uma boa amizade, que nem quero que seja colorida como sugeriu. Não estou para aí virada, e nem o rapaz se encaixa no perfil de um possível namorado, porque simplesmente não há aquele click, não há chama, ou algo que se pareça. Apenas o vejo como isso mesmo, um amigo. E para mim as amizades são algo sagrado, não são para serem estragadas por algo que há partida não tem por onde começar. Se tivesse que haver algum clique, teria havido quando nos conhecemos, e quando isso não me acontece, já não há hipótese de acontecer. E como tem sido óbvio em alguns posts, não é tão cedo que me vou apaixonar novamente. Além de que quando eu "encasqueto" que não, é melhor desistirem, porque os meus não tem carácter definitivo. Mas lá que eleva o ego, isso sim. Sinto-me com power para arrasar na próxima vez que sair de casa, vai ser vê-los a tombar uns atrás dos outros, lol. E vivam as mulheres de 30 e...

sábado, 17 de novembro de 2007

Estava distraída...


"AMOR: Graças ao seu jeito comunicativo, você terá inúmeras oportunidades de fazer novas amizades. E será do meio desses contactos que poderá surgir o grande amor da sua vida, principalmente nesse mês, em que os anjos abrirão muitas chances de elevação no amor. Não estranhe se der de caras com uma paixão inesperada nem esconda seus sentimentos...."

Esta transcrição é de uma revista que encontrei, que havia comprado o ano passado em Setembro, e era uma revista daquelas tipo previsões, mas com salmos e os Anjos que regem cada signo. Ora isto, estava precisamente na mensagem do anjo que rege o meu signo para o mês de Outubro( de 2006). Na altura li isto e deve ter passado despercebido, como acontece normalmente, porque nunca acontece nada, compro pelas mensagens dos anjos que acho bonitas, se é que existem. Devem existir, porque no outro dia, quando encontrei a revista por acaso, estava a folhear, e parei na página do anjo do meu signo, Rafael. Petrifiquei ao ler isto, porque, nunca nada foi tão certo na minha vida como esta mensagem, que me passou despercebida, mas que de facto aconteceu. Eu dei de caras com o grande amor da minha vida, de forma inesperada, sim, tal como a mensagem dizia. Deixei que abrisse as portas do meu singelo coração, porque foi ele que as abriu e vivi intensamente esse amor, enquanto me foi permitido. Vivi um amor que para mim será eterno, mas que me fugiu das mãos, sem que eu saiba porquê... e isso é que vai fazendo a dor maior. Eu sei que num post, anterior disse que não voltaria a tocar neste assunto, mas após ler isto, voltou a bater no fundo do meu ser a falta que um simples sorriso faz, as noites vazias, um toque suave, ou mesmo aquela mensagem que com poucas letras diz tanto... Sei que ele encontrou outra pessoa, por isso nunca me disse o porquê, de se ter afastado, sem nada dizer, mas é a falta de uma resposta que deixa marcas profundas, por um lado a nostalgia do meu grande amor, por outro a mágoa de nunca mais o voltar a ter nos braços, para poder dizer suavemente AMO-TE. E dentro de mim, continua presa a mulher que um dia se quis soltar, e ele já não estava lá para a receber. Talvez por isso, eu tenha resolvido partir, para que os olhos não vejam, aquilo que o coração não pode sentir.
Obrigado ao meu anjo, por existir, vou começar a estar mais atenta ás mensagens que ele enviar, e assim quem sabe perceber melhor a minha missão.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Um dia na capital

Uma campónia em Lisboa, para duas entrevistas de trabalho, com algumas horas de intervalo pelo meio, para dar um giro pela cidade, e assim se passou um dia cinzento, sim que o sol hoje andou meio escondido. As entrevistas correram bem, dentro do esperado, uma redundou numa oferta de trabalho que não se coaduna com as condições salariais aceitáveis para a situação actual da minha pessoa. Digamos que andar a bater perna, pelas vilas e aldeias do meu conselho a oferecer cartões de crédito, por muito credível que seja a instituição, sem sequer uns €s para as despesas, não me vai fazer dar baixa do magro subsidio que ganho, porque enfim, eu sou esquelética, mas tenho barriga. ( além disso a minha veia de vendedora, está em coma há imenso tempo). A outra entrevista também correu bem, e se eu quiser partir a 3 de Dezembro para terras de sua majestade, também é só mostrar o cartão de vacinação, para mostrar que não tenho raiva, que não há risco de morder e provocar nenhuma doença num peru, lol, e assinar o contrato. A ver vamos.
Como referi, fui para a capital no comboio da ponte. Nunca tinha ido, e vistas as coisa, nada perdi. É rápido, suave, mas apertado. Sim, tem muitos bancos, o que torna a coisa muito apertada. Passo a explicar, a carruagem tem como o metro de Lisboa e os comboio, os bancos de frente, uns para os outros, situação normal, não fosse ter tantos que os tem tão perto, o que faz com que o pessoal ande "empernado" uns com os outros, ou então em alternativa encolhidos, com as pernas para o corredor, enfim, agora no Inverno até dever ser giro ir de frente com um gajo bom e ups, empernar com o gajo. Agora imagine-se se o passageiro em frente é uma mulher, um velho, ou um jovem imberbe, que vai logo achar que tem uma mulher mais velha a fazer-se a ele, e lá vem a t-s-o do mijo ao de cima. A vista da ponte, até é engraçada, embora tanto ferro tape um pouco, mas pronto, o comboio é para as pessoas se deslocarem, deixando o carro em casa, não irem poluir com as emissões de gazes de escape e só por isso devemos usar o comboio.
Como havia tempo entre as entrevista, e a primeira foi algures perto da Alameda, lá fui eu ver os locais por onde vivi. Guerra Junqueiro, igual ao que me lembro, depois, Almirante Reis, e lá venho até á Praça do Chile. Não fui para a rua onde vivi,Junto ao Largo do Leão, os meus amigos já não vivem lá, e a nostalgia obrigou a que não o fizesse. Fui para cima, ou mais concretamente falando subi um pouco a Rua Morais Soares. Tal como tudo o resto, está igual, algumas lojas mudaram, mas o movimento é o mesmo. Como seria de esperar, acabei a almoçar na Pastelaria Lido ( passo a publicidade), mas, as saudades obrigaram, e o Bolo Rei também estava na montra a rir-se para mim. Até hoje é o melhor que conheço, e há uns anitos que não provava nenhum, portanto comigo veio um, que vou a seguir fazer o gosto ao dente. Uma coisa que não me espantou, foi o estaleiro das obras na Alameda, que lá continua, mas obras neste país, são sempre definitivas.
E pronto depois lá fui até á zona do Marquês para a segunda parte do meu dia na capital, e depois foi uma corrida até ao comboio, que quase o ia perdendo( uma coisa tão grande).

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

O comboio do futuro


Amanhã vou para a capital. Ena, uma campónia na capital, lol. Lá vou para umas entrevistas, a ver o que dá, uma delas visa a partida para terras de sua majestade. Revistas as opções, de carro não vou, afinal que vou eu fazer para a capital, poluir? E o estacionamento é caro, é dia de confusão, há-de haver filas por todo o lado, e prontos lá vou eu testar o comboio da ponte. Desta vez não me apetece ir de barco, até porque chegar até ao metro ainda leva depois mais um pouco de tempo, sempre via as vistas, mas desta vez, vou ver como anda o comboio na ponte, vou ver outras vistas. Só espero que não seja amanhã que aconteça alguma coisa no comboio, é que eu até nem sou a mulher mais sortuda que conheço, lol. A diferença de tempo entre as entrevistas é que vai ser chata, mas como não vou para aquelas bandas há muito tempo, pelo menos, sem ser em passo de corrida, vou ter tempo para uns passeios, para rever aquelas partes por onde vivi, há 11 anos, e as mudanças que se operaram por lá.

A ver se das duas entrevistas, uma resulta em algo positivo. Enfim, vida de gaja desempregada é assim, sempre em busca da oportunidade certa, o pior é saber qual é que é a oportunidade certa. A ver vamos.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Se ficar não vou, se for, não fico....aiii....

Ando com o coração nas mãos, não sei se vá, não sei se fique, se vou lá, não fico aqui, se fico aqui não vou lá. Confuso? Pois para mim também. De há uns anos para cá tenho ponderado ir trabalhar para o estrangeiro, este ano mesmo, por alturas de Abril/ Maio, pensei mesmo que em Outubro, altura em que acabava o meu contrato de trabalho, iria embora. As coisas, não se encaminharam nesse sentido, e esqueci um pouco essa ideia peregrina. Entretanto, tomei conhecimento de um amigo que está em Inglaterra que me pode ajudar, e hoje, encontrei mais um emprego em Inglaterra. Vou, fico, que faço? É uma decisão difícil, não que tenha alguma coisa a prender-me, mas a decisão de deixar tudo, mesmo que seja uma vida um pouco ingrata para trás, é complicado. Arriscar sair do país, sozinha, torna tudo mais complicado. Se partir, como vou ter o mar para me dar aquele conforto, que encontro nas suas margens? Como vou aguentar ir para o país do nevoeiro, sem o nosso sol? Por outro lado preciso sair daqui para bem longe... sair daqui, vai fazer-me ocupar a cabeça, olhar o mundo com outros olhos. Vai custar um pouco, mas a minha vida tem de mudar, sob pena de não sair da cepa torta, e além disso preciso mesmo ser eu novamente, ando um pouco afastada de mim. Sim, vou partir. U.K. whait for me. I kept the rain, falling down on me,all the time. Tal como o refrão da música que ouço neste momento:The rain - Roxette, a chuva cai em mim o tempo todo, por isso vou, para poder esquecer a chuva....

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Vale a pena estar aqui à conversa com o mar. A ele digo tudo o que me vai na alma, a ele confesso os meus pecados, sem receios. Ao mar confio as minhas lágrimas, de tristeza e de alegria. Dele recebo a paz que preciso, mesmo quando está revolto, transmite-me sempre algo positivo.

Um dos meus sonhos, era ter um enorme veleiro, e poder andar pelo mar, á deriva, passear pela costa e ir conhecer os pequenos pontos de luz que indicam porto seguro, os faróis. Tenho verdadeira paixão por esses pontos, que se erguem bem altos, e que indicam porto seguro a quem anda no mar. Um dia quando construir a minha casa, vou dar-lhe o nome de O Farol, porque será o meu porto seguro, será o local de onde partirei para ir ver o mar, mas será o meu ponto de luz, onde voltarei, sempre, com as energias renovadas. O meu sonho mais utópico, é viver num farol, à beira mar, com um gato e um grande amor. O gato, já tenho o Elvis, o grande amor é tão utópico como o próprio sonho de viver num farol, e o farol, bem, resta-me esperar que sem saber, tenha um parente muito rico, que ao morrer me deixe um de herança.

Tenho imensa pena de não poder vir aqui á noite, mas uma gaja sózinha a passear junto ao mar, de noite, não é a melhor ideia...

Da praia para o blog...

Hoje escrevo este post, na praia! Sim estou numa esplanada enquanto escrevo. Costumo estar na beira da areia, geralmente sentada num tronco com o pc ao colo, mas hoje vim para aqui, porque avistei o homem dos cães, lol. O tal que há umas semanas se atirou a mim, e como é óbvio eu fugi a sete pés, não fosse ter de levar com a lenga-lenga outra vez...
O tempo não está muito animado, estão algumas nuvens que encobrem o sol, que neste momento já está quase escondido por trás da serra, mas que dá umas belas cores de Outono ambiente.
Não vou de certeza ficar com o meu estado de espírito em alta, mas vou ficar bem melhor. Na mesa em frente estão portugueses e franceses, em amena conversa de amigos. È bom ver pessoas em ambiente despreocupado, á conversa. Os pardais, andam aqui, á cata de migalhas, tento fotografá-los, mas os danados não ficam muito tempo parados, para que os consiga apanhar para uma foto. Saltitam de um lado para outro, fazem “corridas”, picardias uns com os outros, desaparecendo para logo de seguida voltarem em busca de mais migalhas.
A praia está agora deserta, e eu vou pegar na “tralha” e dar a minha volta, junto á beira da água, sem levar a foto dos pardais. Quem sabe consiga uma foto das gaivotas, que o mar está tão calmo, e algumas andam na água ao sabor da corrente.