Pesquisa personalizada

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Em zigue-zague


Por vezes concluo que só posso ser masoquista. Procuro de formas variadas, maneira de sofrer. Se isto não é masoquismo, é o quê? Não me bastava já a dor que me consome há quase um ano, ainda fui procurar a forma de aumentar a mesma dor, mas porquê? Deveria estar quieta no meu mundo, já de si um casulo negro, e não procurar escurecer ainda mais o casulo. Nem eu sei o que estou a tentar provar a mim mesma, procurando a minha própria dor. Será que o meu instinto me instiga a procurar um dor tão grande, mas tão grande, que me deite completamente abaixo, e me deixe outra vez de rastos, para só assim eu perceber que tenho de me levantar por mim mesma, sem ajuda? Para quê dar conselhos aos outros, quando eu não estou a conseguir levantar-me da minha própria dor. Não serei eu a culpada de a mesma ainda estar a debater-se no meu interior, como uma bola que cresce, cresce sem parar? Levei com os pés, da pior forma que poderia imaginar, então porquê ainda me debater com a dor? Não sou eu que não presto, eu não fui dormir com outro no dia a seguir. Porque é que eu ainda levo noites sem dormir, se eu apenas dei o melhor de mim? Sigo um caminho em zigue-zague, uns dias a sorrir, outros quase mato as pessoas só com o olhar. Há que por um ponto final nesta dor. Há que matar os fantasmas que me atormentam, e quem sabe enfrentar os touro pelos cornos, deixar de ser a sofredora e passar a ser a mulher feliz que sempre desejei ser. Um dia, ainda vou bater de frente com os fantasmas e vou estar a rir, mas a rir tanto, que só isso será o bastante para que nunca mais me apoquentem, para que metam o rabo entre as pernas e percebam que eu consigo ser feliz, sem pisar no amor de ninguém.

7 comentários:

aespumadosdias disse...

O que é preciso é não te lembrares do passado. O que interessa é o que queres fazer no futuro.

Guerreir@ disse...

Infelizmente todos temos passados amorosos de dor... Custa tanto... Mas valerá a pena sofrermos por alguém que não nos merece?! Valerá a pena deixar de sorrir só porque aquela pessoa que amamos não nos respeita? Não!! Nem pensar! Eu também estou a tentar-me levantar... Não é fácil! Quando toca ao amor tudo fica mais difícil... Mas tu és forte!! Saí do buraco e vive! Sê feliz!
bjO

stiletto disse...

Eu só te posso dizer uma coisa, procura bem dentro de ti e vais descobrir que "é possível ser feliz...", mesmo quando a dor é grande, mesmo quando a vida nos dá bofetadas e nos deita abaixo, é dentro de nós que vamos encontrar a força necessária para nos erguermos e voltar a sorrir...

blue eyes disse...

É só mais uma fase, que haverá de passar. Tenho de ir resolvendo isto por etapas. Só o tempo me pode ajudar em cada uma das etapas, e por agora o tempo que passou ainda é curto.
:)

Pedro Bom disse...

Olá,
Fiquei estupefacto com o que li. Realmente estás agarrada ao passado e tens é que vir para o presente/futuro.
Por experiências passadas, podia-te dar umas lições de como ultrapassares isso (sem ser a ajuda que falas), mas não tinhas email....
De qualquer forma, nós comandamo-nos e desta forma, só tens que seguir o teu caminho, trilhando um novo caminho e não seguir o que fazias no passado!

blue eyes disse...

Olá Pedro, só agora verifiquei que o e-mail não consta do perfil. Estava convencida que por lá estaria, e como até agora ninguém me alertou não dei por nada. Já lá está, agora!
Eu tenho noção da realidade, e sei que neste momento tudo o que preciso é ultrapassar o choque. Só não ultrapassei até agora porque para além do trabalho, não faço grande coisa, a não ser ficar por casa, e sei que isso, não ajuda em nada. E as minhas saídas são, em solidão, daí que em nada eu me esteja a judar, mas em nada ajuda sair com amigas, afinal todas são casadas, e saem em grupos de... casadas. Eu aguento a felicidade dos outros, mas não me sinto bem, no meio de conversas tão banais, como o esquentador não funciona, e ele não se resolve para o arranjar, bahhh. Antes prefiro ir ver o mar, e as gaivotas. :)
O tempo vai dar a volta e logo, logo haverá sol outra vez.
:)

Guerreir@ disse...

Como eu entendo o que escreves-te neste ultimo comentario...
Bjo