Pesquisa personalizada

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Donos do tempo


O post do Jorge, "A espera... o silêncio das palavras" , fez-me lembrar que eu não gosto de esperar, em absoluto, seja pelo que for. Também não gosto de fazer esperar. No entanto a vida é feita de tempos de espera. Para tudo o tempo tem de ser de espera, até para os cozinhados, para no final do mês receber o ordenado, às vezes para nos levantarmos temos de esperar que seja de novo outro dia. Ultimamente também a minha vida é feita de esperas, e se umas não me afligem, embora como já disse não goste de esperar, outras há que me fazem desesperar a passos largos. Usamos um relógio, mas não somos nós que mandamos no tempo que ele vai contando, apenas serve para nos orientarmos, não somos donos de nada. Temos de andar às ordens do tempo, e não é o tempo que anda às nossas ordens. Nem podia ser de outra forma, porque se nós pudéssemos mandar, era complicado porque cada um mandava à sua maneira, e o tempo é de todos, logo, não pode ser comandado independentemente por cada um de nós. E agora, vou ter de continuar a esperar... por um tempo contado, dia a dia, mês a mês, sem poder desesperar, porque vou ter vou muito tempo para isso quando chegar o dia D, ou então não...

13 comentários:

Pessoinha disse...

Tens toda a razão. ao fim e ao cabo não somos nós que mandamos no tempo mas ele qu manda em nós. somos meros escravos do tempo quer para trabalhar, para envelhecer, para viver e para morrer.

xinhus

aespumadosdias disse...

Que post tão misterioso...

blue eyes disse...

Por mais que tente nem consigo deixar de usar relógio, quanto mais deixar de usar o tempo. Mas para mim, parece que o tempo já parou, o dia D antecipou-se, e com ele o desespero. Culpa minha, devia saber que não sou dona de tempo nenhum, e que dependo também do tempo de outros, que nem sempre o compasso do tempo é igual para todos e como tal, os desacertos são realidade.
Antes assim, que mais tarde!
beijinho

blue eyes disse...

Misterioso, o post? Não vejo aqui nenhum Sherlock Holmes à cata de resolver o mistério...

Jorge Freitas Soares disse...

Olá Xana

Tinha lido isto antes, voltei e reli...e agora os comentários...e acabo de ter uma ideia para um post :-)

Eu já não me lembro de quando foi a ultima vez que tive um relógio.... bom, um dos de pulso .......

Beijinho
Jorge

irracional disse...

O tempo... nós sempre fomos escravos dele mesmo, apesar de dizermos que assim não é! Resta-nos esperar, isso mesmo esperar, mesmo que não nos sentemos quietos, esperamos. Vamos levando a nossa vida, mas esperamos!
Bjinhos

Anónimo disse...

tudo isto faz parte do fado da vida,pequenas coisas que nos fazem bater a pala a qualquer dever ou obrigacao.E o relogio,a agenda,..tudo isto para ser-mos o mais possivel explorados.QUESTAO SERA QUE OS ANJINHOS E OS SANTINHOS TAMBEM TEM RELOGIOS? Xana dorme com os anjinhos que comigo,hoje sei que e impossivel.Um beijo.

blue eyes disse...

Oh Jorge, que bom para ti que não usas relógio, pelo menos desses que costumamos trazer acoplados no pulso, como parte integrante de nós mesmos. Não me vais é dizer que te orientas pelo sol... porque afinal o tempo também é importante para ti, não fosse esse o sentido do teu post.
beijinho

blue eyes disse...

Isso de não nos sentarmos quietos, tem muito que se lhe diga... se a cadeira tiver rodas..., lol. Eu neste momento sou escrava de um tempo que eu criei, sou escrava de metas e objectivos defenidos, com tempo contado, mas tem mesmo de ser.
beijinho

blue eyes disse...

A questão de quem tem ou não relógios em teologia é um caso complexo.
Não sei se sou eu que durmo com os anjos, se são os anjos que dormem comigo.
"Xana dorme com os anjinhos que comigo,hoje sei que e impossivel"
????????? confesso que por vezes há comentários que eu não entendo, este faz parte do conjunto.

Smootha disse...

"O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem o tempo que o tempo tem."
Bolas, nem sei como consegui escrever isto, dito é bem mais fácil.
Conheço alguém cujos dias devem mesmo ter 48 horas, pois nunca vi/conheci ninguém que fizesse tanta coisa e fosse a tantos sítios num único dia como ele.
Será que vive ou que se limita a usufruir de uma passagem pela Terra?
Não sou capaz de sair de casa sem relógio no pulso, embora pouco olhe para ele. Mas como alentejana que sou, gosto de fazer tudo de-va-gar, e tentar fazer com que o tempo não passe, e que se escoe bem de-va-gar....
;)
Tudo bem contigo? Desculpa ter andado meia ausente e tal... Se passeares plo meu canto entendes o porquê.
Beijocas

Anónimo disse...

Eu explico,claro que hoje e impossivel os aeroportos estao fechados a conversa era relativa ao tempo.Desejo-te coragem para alcancares os teus objectivos e assim que eu gosto de ouvir falar.

blue eyes disse...

Eu também não sei viver sem usar relógio no pulso, mas quando o tenho quase não olho para ele. O problema é quando não o tenho, que aí sim, passo o tempo a olhar para o sítio onde deveria estar o sacana do relógio. Eu sou o género de pessoa que em termos de trabalho gosta de fazer tudo rápido e à primeira. Já no campo pessoal gosto de saborear tudo, longamente... à alentejana...
Já soube do que aconteceu, pelo teu blog. Espero que tudo passe rápido.
beijinho