Pesquisa personalizada

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Casamentos e divórcios ecológicos...


Parece que no Brasil, saiu uma lei (ou está em estudo), que diz que vai obrigar os casais que se casam a plantar, contribuir para a plantação de 10 árvores novas! Em caso de ser um divórcio esse valor sobe para 25. Segundo o "deputado federal" (não tenho certeza), quando um casal dá o nó, está a iniciar uma nova família, logo está a aumentar o volume de lixo, o consumo de água, energia, o que ajuda no aumento do efeito estufa, depois nascem os filhos, logo esses valores aumentam. Em caso de divórcio, será uma família que se quebra, mas possivelmente duas novas se iniciam, porque cada um fica com sua casa, e mais tarde irá formar nova família, logo a produção de lixo, os gastos energéticos o todos esses atentados ambientais aumentam, logo o número de árvores a ser plantado, também aumenta. Será o munícipio da área de residência a decidir onde as árvores devem ser plantadas. Outra hipótese, é os novos casais, ou os casais desfeitos contribuírem monetariamente para a plantação de árvores.
Acho que é um exemplo a seguir, não só em Portugal, mas mundialmente. Sim, porque assim aumentam-se os espaços verdes, faz-se reflorestação e tenta-se diminuir o efeito de estufa. E não só, aumenta-se a produção de oxigénio, tão essencial a todas as formas de vida.
Quando se inicia uma nova família, é real o aumento do dispêndio de energia, da produção de mais lixo, afinal é uma nova casa, com tudo o que está inerente, e agora com todas as modernices que todos temos, para não falar dos gastos com água, e quando nascem os filhos, aumenta tudo de novo. Se não se encontram formas de debelar o aumento de tudo isto, e se, se continuam a abater árvores, sem se replantarem novas, um dia destes ainda vamos ter de usar máscaras de gás a ver se conseguimos alguma respiração... No entanto também não deveriam ser necessárias leis que obriguem as pessoas a contribuir para se plantarem árvores, as pessoas deveriam fazê-lo por iniciativa própria e as instituições governamentais, ou não, também. É uma questão de consciência, mas se ninguém a tem, então que se criem estas leis ou outras semelhantes.
Em Portugal, se tal acontecesse, acho que os múltiplos de 25, iam ser os mais usados, a avaliar pelo número de divórcios que temos por cá, iríamos portanto passar a ser um país bastante ecológico...

12 comentários:

tontices disse...

Concordo plenamente! Se as pessoas não tem hábitos ecológicos ( culpada, apesar de reciclar)a bem, que sejam obrigados a te-los, acho muto bem e devia servir como exemplo.
Beijinhos e seja bem vinda

Jorge Freitas Soares disse...

Olá Xana

Bela ideia essa..... como estão as coisas, reforestavamos o pais num abrir e fechar de olhos.....

Beijinho
Jorge

blue eyes disse...

Eu sou culpada por não ser muito poupada na água... mas isto de ter uma nascente à porta ajuda ao desperdício, principalmente agora no Verão que lavo o quintal todos os dias para refrescar... de resto, contribuo o mais que posso, e faço separação de resíduos. Planto árvores, sim, poupo enregia, já troquei as lâmpadas cá de casa, evito desperdício de papel, evito duches longos, o quintal é mesmo o meu calcanhar de aquiles... evito andar muito de automóvel, se bem que o preço do combustível ajuda também a ser mais ecológico... No entanto, em qualquer das situações eu não me importava de contribuir, porque precisamos de mais árvores para nos fornecerem oxigénio, que tanta falta está a fazer nas cebecinhas pensadoras em S. Bento...
beijnho

blue eyes disse...

Pois é jorge, com a quantidade de divórcios neste país tão pequeno, depressa ficaríamos ao nível de uma mini-amazónia reflorestada. Pelo menos iriamos contribuir para a diminuição do aquecimento global, e pelo aumento do fornecimento de oxigénio a estes cérebros gastos que nos (des)governam a passos largos, bem como ficávamos com um país mais verdinho.
beijinho

aespumadosdias disse...

Voltaste. Fico contente.
Boa ideia.
Obrigado pela dica em duplicado.

Anónimo disse...

bla,bla,...TIROS DE CANHAO PARA MATAR MOSCAS.Nao concordo porque o que faz falta no mundo sao leis morais para aguçar o ser humano , ao ponto que com o seu gume consiga cortar a maldade,a inveja,a mentira,o abandono para consigo,...sou contra o divorcio,sou contra o aborto,os guardas florestais as florestas.

reticencia disse...

casamentos e árvores. Ainda bem que um divórcio é bem positivo a nivel ambiental... há males que vem por bem. Eu ja disse ao gajo que quando morrer quero ser cremada e depois com as cinzas quero que plante uma árvore bonita e frondosa. Ao menos terei utilidade, serei uma rica sombra :D

blue eyes disse...

Maldade, inveja, mentira, abandono, sempre existiram e irão existir. Não há leis morais que mudem isso, nem ninguém com moral para as criar, porque toda a gente tem " as sua imoralidades" os seus "pecados", pricipalmente quem governa, quem tem o poder de criar leis.
Nem sequer refiro a minha opinião sobre o divórcio, porque tal como a minha opinião anterior sobre leis não coincide com a sua opinião e não quero aqui abrir um debate sobre temas em que o consenso é impossível.

blue eyes disse...

Eu digo que quero ser cremada, mas nunca pensei no que fazer com as cinzas, e pensando bem, e de tão ecológica que sou, será que quero poluir o ar com o dióxido de carbono resultante da queima? No entanto não sei qual a melhor forma de não poluir, ser cremada, ou mandada sete palmos abaixo do nivel terreno... se calhar é melhor mandarem-me aos bichos, que eu também não devo dar muita cinza, e de mim, não devem nascer sequer ervas, quanto mais árvores para dar sombra...

Sangue Da Alma disse...

Espero bem que por cá não se lembrem de legislar desta forma. Quanto custarão 90 árvores?

blue eyes disse...

90 árvores? Isso corresponde a quantos casamentos e quantos divórcios? É que não me parece um número lá muito redondo, deves andar cá com uma ideias estranhas, não?
Mas tmabém não sei preço, não tenho ideias nem de casar, nem de divorciar, é muita árvore junta, e minha árvore genealógica já tem genes ruins que cheguem, não vale a pena multiplicá-los.
hihi

Anónimo disse...

eu nao quero morrer.