Pesquisa personalizada

segunda-feira, 17 de março de 2008

Decisão...




Hoje dicidi que te odeio. Odeio-te com todas as minhas forças, e de hoje em diante será assim! Para sempre! Não mais terás direito ao meu amor. Decidi, que não te amo, como decido que roupa vestir. Não tens mais ordem para me roubar sorrisos sem sequer te ver. Decidi que te odeio, tal como odeio coentros, decidi que és um coentro na minha vida. Nem o cheiro suporto, só de pensar arrepio-me. De hoje em diante odeio-te, odeio lembrar-me de ti, odeio saber que exististe na minha vida. Hoje decidi que te odeio, porque te amei mais do que podia. Odeio tudo o que me fizeste crescer, odeio que tenhas sequer olhado para mim. Hoje decidi que te odeio, por tudo que vivi nos teus braços. Odeio que te tenhas lembrado de mim, quando o mar te levou longe. Odeio ter deixado que te ligasses novamente na minha corrente. Odeio que me tenhas chamado anjo, odeio tê-lo devolvido. Hoje decidi que te odeio.



Uma vez o amor perguntou ao ódio:
-Por que tu me odeias tanto?!
O ódio respondeu:
-Porque um dia te amei demais.

9 comentários:

aespumadosdias disse...

Excelente decisão.
PARABÉNS!

Anónimo disse...

Lindo, eu também odeio coentros, mas se as coisas do coração fossem assim tão faceis! o pior é que não escolhemos de quem gostar,tente esquecer mas não odeie, esse ódio não a faz esquecer.
beijos. tontices

Pessoinha disse...

O amor e o ódio são sentimentos muito próximos. E tal como tu dizes, o ódio pode advir por se amar demais alguém. Ai que o homem do mar não te deixa em paz... mesmo lá longe! :P

Xinhus!

blue eyes disse...

Dizer que se odeia é fácil, mas nem sempre a boca diz o que sente o ........ E poderia lá odiar quem nunca me fez mal?
bjks

sopro da voz disse...

ola,
como te compreendo, e como tb odeio, como tb amo, mas gosto de coentros.
essa frase é linda... beijinhos

Jorge Freitas Soares disse...

Xana

A fronteira entre o amor e o odio é tão tenue, o problema amiga, é que ames ou odeies, esse marinheiro continua aí.... e sabes que mais, eu acho que ele não merece.

Excelente texto, como todos
Beijinho
Jorge

blue eyes disse...

Pois, coentros eu não gosto de todo, mas num casamento a foi servido de entrada um consomé de coentros que eu comi, e não me soube de todo a coentros, se soubesse ou cheirasse... tinha saido da sala.

E como eu sei que a fronteira entre o amor e ódio é ténue... eu própria já vivi isso! Aqui o problema sou mesmo eu, que tenho de me desenvencilhar dos meus próprios sentimentos. O marinheiro, não tem a culpa toda e não é querer desculpá-lo, eu é que sou género pit-bul quando agarro é um problema largar!
bjks

Um dos de mim disse...

Amor e ódio são graus diferentes do mesmo sentimento...

blue eyes disse...

"Amor e ódio são graus diferentes do mesmo sentimento..."
O meu problema é que mesmo que o quizesse não conseguiria odiar. Eu não consigo sentir ódio nem de quem me faz mal, o pior sentimento que posso conseguir ter por quem me faz mal é a indiferença.
A esta pessoa seria incapaz de odiar, porque nunca me fez nada que o justifique, até pelo contrário, foi uma pessoa que me deu muito em pouco tempo. A vida se enacrregou do resto, e eu fiquei presa no passado do qual me começo a libertar a pouco e pouco, e só terei de deixar de amar, odiar jamais seria capaz.