Pesquisa personalizada

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Caramelos

Vou dar uma de Jay Leno,( perdão se me engano e foi o outro comediante) e vou escrever as minhas próprias piadas.
Eu vivo algures, pelas bandas de Palmela, e como é praticamente tudo zona agrícola, já se sabe que o pessoal quando abre a boca, na maioria das vezes é para dizer coisas trocadas. Ora cá vou deixar alguns exemplos do falar caramelo ( sim que o pessoal que povoou estas bandas era originário da zona caramela no norte de Portugal, eram os caramelos de ir e vir, porque trabalhavam cá, e iam a casa no fim de semana, até que foram ficando, daí que ao pessoal aqui do campo chamem caramelos, e não saloios, que esses são os da banda norte de Lisboa).
Mas cá vão algumas pérolas do falar caramelo:

blancia - melancia
fregnete - camioneta
caminete (da carreira) - autocarro
lipopote - hipopótamo
pirum - perú
cacifro - frigideira
jorze - Jorge
vai lá fecar - vai buscar
ilifante - elefante
bassoira - vassoura
alpistra - alpista
canairos - canários

e tantas outras que agora não me lembro, mas ouvir este pessoal, é um exercício deveras estimulante para o cérebro tendo de descodificar algumas pérolas, algumas bem cabeludas, no entanto só me recordo destas. Um dia escrevo um livro sobre as raízes e sobre as gentes da minha terra, que apesar de tudo são malta porreira.

7 comentários:

Smootha disse...

lol k máximo!!!
Os outros blogleitores não sei, mas eu quero mais!
Adoro essas pérolas.
Como não estou muito longe da tua zona, e aqui são mais saloios que outra coisa, deixo-te também duas pérolas que quando me mudei para aqui, me deixaram a pensar o que raio seria:
- rabeça - esquina
- tijóis - mais do que um tijolo, ou é como quem diz: tijolos
Há muitas outras, mas básicamente assentam no "comer" da última vogal das palavras, tipo:
O mê marid aind naõ fechou.
:D

blue eyes disse...

Por aqui tb há tijóis aos montes.
E há menzas, há o "bota aí menza pa gente comer". Ok, é suposto ser o acto de "por" a mesa para a refeição.

blue eyes disse...

Bem, nem é tijóis, é mesmo tjóis.

Pessoinha disse...

Ahahahahha! Estão boas, estas! Muitas destas fazem-me lembrar os alentejanos (a minha mãe é).
Acho imensa piada a estas palavras "novas". Pensa lá em mais pra pores aqui...lol!

Xinhus!

Gato Pardo disse...

Muito bom...
Uma dúvida...As caramelas não são as nativas de ALhos Vedros?
Julgava que já tinha ouvido issso em algum lado...
Beijokas

blue eyes disse...

Não sei o que chamam ao pessoal de Alhos Vedros. Aqui chamem caramelos ao pessoal, porque quando a região de Pinhal Novo começou a nascer por causa da linha férrea, o pessoal que vinha para cá trabalhar era da região caramela, tipo Figueira da Foz, Viseu, e por aí. Então eles trabalhavam por cá durante a semana, e iam a casa no fim de semana. Eram os caramelos de ir e vir. Então houve um senhor que era dono de quase toda a área onde hoje é Pinhal Novo que deu as terras aos caramelos para que usufruissem delas e povoassem a área. Os caramelos foram ficando, e foram povoando Pinhal Novo, e foram vindo por aí e povoando a área que vinha de Palmela até aqui ao campo, onde vivo. A avó (bisa, não me lembro) da minha mãe era da Tocha, junto da Figueira da Foz.
Daí que nos chamam caramelos. Daí que a mistura dos caramelos, com palmelenses tenha originado uma linguagem muito engraçada.

existencia disse...

que giro não sabia disso. Caramelos, de leite? estamos sempre a aprender :)
bjokas